Trinta e quatro famílias estão desabrigadas pela cheia do rio Acre

Até ontem, a cheia do rio Acre havia desabrigado 34 famílias provenientes dos bairros Habitasa, Seis de Agosto e Ayrton Sena.  Todas elas foram levadas pela Defesa Civil para os alojamentos construídos no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco, no Segundo Distrito, onde aguardam o nível do manancial baixar para retornar às suas casas.

Família recebem atendimento nos abrigos da prefeitura

Porém, mesmo tendo apresentado sinal de vazante, ontem de manhã o rio Acre ainda estava com 14,37 metros, mantendo-se acima da cota de transbordamento (14 metros). O aparato da Secretaria de Ação Social da prefeitura no atendimento às famílias é feito em período integral, assim como o monitoramento realizado pela Defesa Civil nas regiões mais vulneráveis.

A possibilidade de o nível do rio Acre subir ainda mais neste fim de semana não é descartada pelo pesquisador meteorológico, Davi Friale, que prevê a ocorrência de mais chuvas para o período. “Fevereiro possui um padrão histórico de 285 milímetros de chuvas no Acre. O diferencial é que as precipitações podem ocorrer durante todo mês ou em uma semana do mês”, explica.

Segundo ele, na tarde desta quinta-feira já haverá a possibilidade de chuvas fortes, que poderão se estender até o fim de semana. “Isso porque um centro de baixa pressão atmosférica – atualmente posicionada sobre a Bolívia – deverá se deslocar para o Acre e provocar nuvens carregadas e úmidas”, detalha o pesquisador.

Deixe um comentário