Greve na ENESA provocou paralisação de Jirau

Neste momento toda a obra da Usina Jirau está paralisada por conta de uma greve de funcionários que se iniciou na empresa terceirizada EMESA e foi aderida por todos os funcionários da obra, o motivo da paralisação é por melhores salários e condições de trabalho, até o momento a manifestação é pacífica e não há registro de depredações, homens da Polícia Militar e Força Nacional foram solicitados e já estão no local para garantir a segurança do empreendimentos.

A assessoria de comunicação da Camargo e Correia negou que toda a obra esteja parada e informou que apenas funcionários da terceirizada ENESA estão no movimento grevista, a construtora tem cerca de 800 funcionários.

A reportagem do Rondoniavip conseguiu informações de que devido à este movimento grevista da ENESA, causou receio as outras empresas que prestam serviços no local e fez com que retirassem todos os seus funcionários e maquinários do canteiro, o mesmo foi feito com os ônibus de transporte de pessoal, paralisando toda a obra.  O Sindicato da categoria está no local e tenta negociar o impasse.

Fonte: RondoniaVIP

Deixe um comentário

6 comentários em “Greve na ENESA provocou paralisação de Jirau

  • 27 de setembro de 2013 em 0:32
    Permalink

    procuro jose rosa ja trabalhei na enesa moro em itabira mg

  • 14 de março de 2012 em 19:54
    Permalink

    Realmente aqui no jirau, o momento é tenso!
    Devido as humilhações que passamos desde o fixamento, e continua de parte de alguns funcionários da administração.
    (Recrutamento e alojamento)

  • 11 de março de 2012 em 18:48
    Permalink

    Toda obra esta paralisada por consequencia de funcionarios da ENESA que se juntaram com funcionarios da Camargo Correa, por pessimas condições de trabalho e baixo salário, somente o pessoal da cozinha e alguns da limpeza dos alojamentos, bombeamento d’agua, e é uma greve totalmente pacifica sem dano algum ao patrimonio empresarial.

  • 9 de março de 2012 em 1:47
    Permalink

    Desde o ínicio da obra, a questão operária tem sido tratada como caso de policia. Os operários são tratados com arrogância e humilhações por parte dos chefes e encarregados da Construtora Camargo Corrêa e suas subempreiteira

    • 9 de março de 2012 em 10:17
      Permalink

      e mentira ninguem e tratado dessa maneira.

      • 11 de março de 2012 em 16:04
        Permalink

        so funcionario d uma terseriza e poso firma q e mentira sao respeitado segurança do trabalho e atento com firmesa e ninquen e tratadu desa maneira

Fechado para comentários.