Arena para debates entre governo e sociedade civil começa a funcionar na Cúpula dos Povos

A Arena Socioambiental, um espaço de diálogo do governo federal com a sociedade civil em torno dos temas da Rio+20, foi aberta na manhã de hoje (16). O espaço é parte da Cúpula dos Povos, que acontece no Aterro do Flamengo, na zona sul da cidade, paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável.

Segundo o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, a ideia principal do governo é ouvir as demandas e sugestões da população. “Esse espaço é um grande orelhão, onde o governo quer ouvir a sociedade. As relações entre governo e sociedade civil é sempre tensa, mas é levando esse diálogo que seguiremos encontrando os melhores caminhos”, disse.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, fez o discurso de abertura e leu uma carta enviada pelo ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que participaria do evento, mas cancelou presença por questões médicas. Na carta, Lula pediu vontade política para associar o desenvolvimento econômico, social e ambiental.

O auditório lotou com um público bem variado, que ia desde pessoas engajadas na questão ambiental até pedestres que estavam apenas passeando pelo Aterro do Flamengo. O engenheiro elétrico Carlos Henrique Ribeiro resolveu visitar a Arena com a filha de 12 anos.

“Eu vim por duas razões. Primeiro, quero saber o que está sendo discutido aqui na Cúpula dos Povos. E, segundo, queria trazer minha filha. Quanto mais cedo melhor para plantar uma sementinha da preocupação de como serão as gerações no futuro, em relação à qualidade de vida e à própria preservação da vida”, disse.

A indiana Zareen Myles pertence a uma organização não governamental que trabalha com mulheres da zona rural da Índia e com mulheres pobres da capital indiana Nova Délhi. “Quero saber o que as pessoas de todo o mundo estão fazendo e aprender com elas”, disse a estrangeira, que também vai participar dos eventos oficiais da Rio+20, no Riocentro.

Já a aposentada Maria do Amparo entrou na arena por pura curiosidade. “Não sei o que está acontecendo aqui, mas como eu sempre caminho aqui pelo Aterro, entrei para ver o que era isso.”

Por: Vitor Abdala
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Andréa Quintiere

Deixe um comentário