Arun Gandhi defende mobilização social como forma de alcançar metas da Rio+20

O ativista político pela paz, Arun Gandhi, disse hoje (30) que as deliberações da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, que ocorreu de 13 a 22 de junho no Rio de Janeiro, só vão ganhar força com a mobilização da sociedade. “Políticos, líderes mundias, reúnem-se por dias, produzem discursos, documentos, mas nada muda. O mundo continua como está. Basicamente, precisamos que todos entendam que fazer desse mundo um [lugar] melhor é uma responsabilidade [não só] dos políticos, mas também de todos nós”, defendeu.

A avaliação do ativista tem como base a filosofia difundida pelo avô dele, o líder pacifista indiano Mahatma Gandhi, que defende a mudança a partir das pessoas e não dos governos. Gandhi pregou a paz e a desobediência civil como meio de revolução para alcançar a independência da Índia. Arun, sul-africano de 78 anos, participou hoje (30), em São Miguel Paulista, zona leste da capital, de uma roda de conversa com jovens e educadores paulistanos. Assim como seu avô, Arun atua em causas humanitárias, especialmente voltadas à educação.

Arun falou, ainda, sobre outros ensinamentos de seu avô por uma cultura pacifista. Ele defendeu, por exemplo, o recurso da penalidade, e não da punição, para reprimir atos criminosos. “Não digo com isso que não devemos ter prisões e que cada um deve fazer o que quiser, mas digo que as prisões podem ser lugares de aprendizagem e reforma daquelas pessoas. Quem cumpre penalidade é reformada e isso sim reduz a violência e gera mudanças.” O ativista criticou também o consumo exacerbado nas sociedades atuais. “O consumismo é algo ruim. Estamos sempre querendo ter coisas novas e o mercado produz conforme nossas necessidades. Se decidimos que não vamos gastar nossas vidas e recursos somente comprando, seremos mais felizes. Mas se comprarmos cada vez mais caímos em uma armadilha, da qual é muito difícil sair”, avaliou.

Por: Camila Maciel 
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Talita Cavalcante

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*