Cúpula de Legisladores pretende cobrar dos governos a transformação das metas da Rio+20 em ações concretas

Parlamentares de todo o mundo, reunidos ontem (15) na 1ª Cúpula Mundial de Legisladores, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), destacaram a importância do Legislativo para garantir os compromissos que vierem a ser assumidos na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

Como legisladores, a intenção manifestada por todos os participantes da cúpula é no sentido de cobrar dos governos a transformação das promessas feitas na Rio+20 em ações concretas.

O presidente da Organização Global de Legisladores (Globe), John Gummer, ressaltou que os legisladores não precisam estar vinculados a nenhum tipo de elo com o governo para fazer a sua tarefa. Ele pediu a todos os parlamentares que se comprometam para tornar o que for decidido na Rio+20 “uma realidade em todos os países do planeta”. Gummer acrescentou que para a concretização dos esforços da Rio+20, “nós [legisladores] somos soldados e vamos ganhar essa guerra. Vamos dar início à primeira batalha”, disse.

A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, representando na solenidade a presidenta Dilma Rousseff, saudou os presentes cantarolando o Samba do Avião, de Tom Jobim. Ela ressaltou que os legisladores que estavam ali tinham uma tarefa crucial em relação aos temas que estão sendo discutidos na Rio+20.

“Estamos diante de um dos maiores desafios da humanidade”, declarou a ministra, referindo-se à mudança do clima global e ao aumento da população do planeta, em especial. “Precisamos coordenar esforços de todas as nações no desafio coletivo de construir uma economia de baixo carbono, baseada nos três pilares: econômico, social e ambiental”, completou.

Ideli destacou que o Brasil tem se esforçado para fazer a sua parte. O país conseguiu uma diminuição de mais de 70% no desmatamento, tem uma matriz energética limpa com base na hidreletricidade e apresenta avanços importantes na área do Legislativo. A ministra manifestou confiança no Parlamento brasileiro para alicerçar as ações necessárias que contribuirão para o desenvolvimento sustentável do planeta. Ressaltou entre os projetos recentes examinados pelo Legislativo o Programa Bolsa Verde, que garante renda para quem preserva o meio ambiente, e o debate atual em torno do novo Código Florestal.

Na avaliação de Ideli Salvatti, a Cúpula Mundial de Legisladores poderá traçar os rumos para o novo modelo de desenvolvimento sustentável que equilibre crescimento econômico com desenvolvimento social e preservação do meio ambiente. Ela espera poder cantar, depois da Rio+20, “o planeta Terra continua lindo”, aludindo à música do ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil [Aquele Abraço], que começa com o verso “o Rio de Janeiro continua lindo”.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, manifestou, em gravação em vídeo, que “a crise econômica atual não é desculpa para a falta de ações. Temos que fazer da Rio+20 um grande progresso para a humanidade”.

Representando o presidente do Congresso, José Sarney, o primeiro-secretário do Senado e presidente da Globe Brasil, Cícero Lucena, transmitiu a importância da união e da troca de experiências entre os legisladores de todo o mundo para o sucesso da Rio+20. Ele renovou o compromisso do Senado e do Brasil “para alcançarmos um mundo mais humano e solidário para deixarmos de herança para o futuro”.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse que os legisladores têm um papel fundamental “para pressionar os governos e os chefes de Estado que aqui estarão na semana que vem para que as coisas sejam de fato decididas na Rio+20”.

Por: Alana Gandra
Fonte: Agência Brasil
Edição: Aécio Amado

Deixe um comentário