Funai apresenta Política Nacional de Gestão Ambiental e Territorial de Terras Indígenas em evento na Rio+20

A Política Nacional de Gestão Ambiental e Territorial de Terras Indígenas (Pngati) foi apresentada ontem (14) pela Fundação Nacional do Índio (Funai) durante evento paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, no Museu Nacional do Índio, em Botafogo, na zona sul da capital fluminense.

O decreto criando a Pngati foi assinado pela presidenta Dilma Rousseff, no dia 5 deste mês, Dia Mundial do Meio Ambiente, durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília.

A ideia é que a Pngati atue no fortalecimento das ações dos povos indígenas na conservação da biodiversidade, por meio do manejo tradicional e comunitário dos recursos naturais, e que também promova o trabalho integrado das instituições governamentais e da sociedade civil na promoção da gestão ambiental e territorial nas terras indígenas.

De acordo com a presidenta da Funai, Marta Maria do Amaral Azevedo, o Pngati vem sendo discutido, desde 2008, em conjunto com as comunidades indígenas. “Espero que a partir de agora, a gente consiga dar um bom exemplo para construir uma sociedade que inclua os povos indígenas e os conhecimentos como um grande patrimônio brasileiro”, disse.

Marta Maria destacou que a Funai tem avançado na política direcionada aos índios, principalmente nas questões que envolvem a inclusão social, educação e demarcação de terra, mas que muita coisa ainda precisa ser feito. “A gente deu um passo muito grande com relação aos povos indígenas, porém ainda temos um longo caminho pela frente. Nesse sentido, atualmente, a gente tem toda essa vontade política de abrir cada vez mais o diálogo para que a gente possa conseguir melhorar cada vez mais todas as políticas direcionadas aos povos brasileiros”, declarou.

Para Toyanabchineri, de 44 anos, representante indígena do estado do Acre, presente ao evento, a Pngati é muito significativa para os índios. “A partir do momento que esse decreto começa a ser implementado, ele vai beneficiar todas as populações indígenas dos quatro cantos do país”, disse.

Fonte: Agência Brasil – EBC

Deixe um comentário