Marfrig é a primeira indústria de carnes a receber o selo RAS de produção sustentável

Unidade Tangará da Serra (MT) recebe certificação socioambiental inédita na pecuária mundial e está apta a produzir com o selo RAS para os mercados internos e externos.

O Grupo Marfrig tornou-se a primeira indústria de alimentos do setor de proteína animal no mundo a rastrear o ciclo produtivo completo de produção de carne bovina com a chancela do Instituto de Manejo e Certificação Florestal Agrícola (Imaflora) e da Rainforest Alliance, uma das organizações mundiais pioneiras na elaboração de protocolos para proteção florestal criada há 25 anos nos Estados Unidos. O certificado foi entregue na tarde desta segunda-feira (11) durante evento que ocorreu na Feicorte, em São Paulo.

A partir deste mês, a unidade Tangará da Serra (MT) está autorizada a produzir e comercializar internacionalmente produtos com o “selo verde da pecuária”. Este é o único certificado no mundo a atestar 136 critérios socioambientais distintos em fazendas de pecuária, que vão desde a redução da emissão de gases do efeito estufa, à implementação de práticas de bem-estar animal e condições sociais com os funcionários e suas famílias.

No início deste ano, a Fazenda São Marcelo, localizada também em Tangará da Serra, foi a primeira propriedade de produção de ciclo completo de gado a receber o selo RAS e será agora a fornecedora inicial dos primeiros rebanhos para a Marfrig.

Os requisitos para a certificação foram estabelecidos pela Rede de Agricultura Sustentável (RAS), entidade internacional que congrega organizações conservacionistas e independentes e detentora da norma de certificação que dá direito ao uso do selo Rainforest Alliance Certified. A auditoria foi conduzida pelo Imaflora.

“Acreditamos que esta certificação é um passo inicial importante, dado não só pelo compromisso e coragem da Marfrig em transformar a pecuária no Brasil e no mundo, ms também para posicionar em um patamar mais elevado as práticas sustentáveis entre todos os envolvidos na cadeia do setor”, afirma Maurício Voivodic, secretário executivo do Imaflora.

Deixe um comentário