Novas metas internacionais

O Brasil ainda batalha para que viceje outra proposta que seria um sinal de sucesso na Rio+20: a criação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), metas internacionais em torno de temas ligados à sustentabilidade, que deveriam ser perseguidas por todos os membros das Nações Unidas. “Um exemplo de objetivo seria a energia, que tem os lados social, ambiental e econômico envolvidos na discussão.

Por ser um tema que divide opiniões, um consenso sobre energia, com metas claras, seria muito mais valioso”, avalia Fernando Lyrio, assessor extraordinário para a Rio+20 no Ministério do Meio Ambiente. As novas metas, explica Lyrio, não substituiriam os Objetivos do Milênio, oito pontos de inclusão social traçados pela ONU para serem alcançados até 2015. A tendência é que esses objetivos não sejam numéricos, como “reduzir a emissão de gases até determinado índice”, explica Lyrio, mas compromissos amplos, como o engajamento em torno de uma causa.

O texto final a ser debatido nos três últimos dias do evento—de 20 a 22 de junho, quando os chefes de Estado vão se reunir — deverá ainda incluir menções à economia verde, sem estabelecer parâmetros rígidos do que estaria dentro desse conceito. A ideia é que cada país desenvolva sua própria economia verde, com liberdade para adequar as políticas públicas aos objetivos traçados.

Fonte: Correio Braziliense

Deixe um comentário