Congresso sentencia fim das florestas

Medida Provisória do Código Florestal é aprovada na última votação no Congresso Nacional

Com apenas três votos contrários, a Medida Provisória do Código Florestal, peça faltante no quebra-cabeças da nova legislação, foi aprovada hoje no plenário do Senado Federal. O resultado é a liberação de ainda mais áreas de floresta para novos desmatamentos e anistia a criminosos ambientais.

Em nome do que chamaram de “um acordo possível” para evitar uma dita “insegurança jurídica” no campo, o governo curvou-se aos anseios da bancada ruralista, deixando de ouvir os alertas dos cientistas e da sociedade civil. O texto, profundamente modificado pelos parlamentares, permite que novos desmatamentos surjam e que os velhos desmatadores sejam perdoados.

“O governo lavou as mãos e deixou o circo pegar fogo. E pegou. O resultado é um Código Florestal fraco, que não protege nossas matas e, em nome de pequenos agricultores, beneficia grandes desmatadores. Aqueles que saqueiam nosso patrimônio ambiental e destroem florestas apostando na impunidade hoje estão felizes”, afirmou Márcio Astrini, coordenador da Campanha Amazônia do Greenpeace.

“Há algumas semanas, a presidente Dilma escreveu um bilhete à nação, dizendo que não concordava com o texto que foi aprovado. Agora ela precisa fazer valer sua palavra e vetar essa MP que saiu do Congresso”, completou Astrini.

Em uma curta sessão plenária, por pouco a MP não obeteve aprovação unânime. Dos 61 senadores presentes, apenas Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Roberto Requião (PMDB-PR) e Lindbergh Farias (PT-RJ) declararam sua posição contrária ao tratoraço ruralista.

Randolfe Rodrigues foi enfático ao mostrar que muitas das mudanças feitas no texto que veio da presidente Dilma irão piorar a situação florestal do país. O Senador lembrou que “as APP’s (Áreas de Preservação Permanente) são responsáveis pela manutenção da saúde de nossos rios e nascentes. Essa matéria é um desastre para o meio ambiente.”

A MP segue agora para a sanção presidencial. A presidente Dilma Rousseff se disse contrária ao acordo feito entre os parlamentares para que fosse realizada a votação da matéria antes que perdesse sua validade, em 8 de outubro. No entanto, não houve qualquer esforço da parte do Planalto para reverter o quadro de destruição de uma das legislações mais importantes do Brasil.

“Nem mesmo os últimos dados de desmatamento, que apontam um crescimento de mais de 200% em relação ao mesmo período do ano anterior, foram suficientes para frear a sanha ruralista sobre nossas florestas. O caminho agora é aprovar a lei do Desmatamento Zero no Brasil. A proposta de lei de iniciativa popular é uma alternativa aos cidadãos que não concordam com a posição daqueles que deveriam os representar no Congresso Nacional”, concluiu Márcio Astrini.

Fonte: Greenpeace Brasil
Imagem: Agência Senado 

Deixe um comentário

8 comentários em “Congresso sentencia fim das florestas

  • 14 de outubro de 2012 em 22:55
    Permalink

    Talvez se o governo e as ongs não tivesem usado o antigo código simplesmente para beneficio próprio e fazendo injustiça generalizando, marginalizando pessoas as quais não foi oferecido nenhum meio de sobrevivencia sustentável, simplesmente quando falamos de infraestrutura, saúde, educação, segurança… o governo sempre abandonou as pessoas a própria sorte e quando se manifestou foi apenas para aplicar multas milionarias em pessoas que mal tinham para sobreviver, ongs falam em salvar o planeta a Amazonia mas não querem ver o lixo dos produtos chineses que infestaram noso pais, estes sim sem qualidade alguma ofere riscos a saúde e ao meio ambiente, reduz IPI de caros e e eletrodomésticos mas não sabe dar um incentivo para que o uso sustentavel da floresta passe da teoria para a pratica, para que a sustentabilidade seja lucrativa não apenas para o governo com altissimos impostos mas para que ela esteja ao alcance de quem realmente trabalha! Se os ambientalistas tão achando o novo código ruim, reflitam aonde verdadeiramente saiu o erro!

  • 7 de outubro de 2012 em 20:32
    Permalink

    Código que finalmente vem a olhar os produtores deste país e não apenas os ambientalistas pagos por governos internacionais para preservar aqui o que eles destruiram a décadas lá…é ou nao é!

  • 27 de setembro de 2012 em 17:03
    Permalink

    O ponto de vista mais evidente neste tragico momento é que ONG´s como Greenpeace, WWF, Cons. Internacional e similares se unam cada vez mais no sentido de conjuntamente com algumas outras que ainda existem no Planeta, no sentido de gerir forças suficientes contra quaisquer formas de interferencias contrarias à preservação da Amazonia e demais ecossistemas deste imenso País, não obstante o que tenha sido aprovado, notadamente por mentalidades contrarias a referida preservaçãoi.
    Boa sorte. Sucessos a todas essas ONG´s.
    Cordiais saudações
    ===========================================================

  • 27 de setembro de 2012 em 6:48
    Permalink

    O Brasil finalmente tem um otimo codigo que protege o ambiente e possibilita a atividade agropecuaria com segurança.

    Parabens aos nossos congressistas.

    • 27 de setembro de 2012 em 16:29
      Permalink

      A ignorância, para alguns, é uma bênção..ficadica

    • 27 de setembro de 2012 em 16:42
      Permalink

      Ótimo código Florestal? Isso é um circo mesmo! Espero que num futuro próximo dinheiro seja comestível!

    • 7 de outubro de 2012 em 20:31
      Permalink

      PERFEITO SEU COMENTARIO..ACONTECE QUE ESTE SITE SÓ TEM ECO LOKO QUE TEM O QUE COMER GRAÇAS AOS PRODUTOS RURAIS…OU VC ACHA QUE AGRICULURA FAMILIAR SERVE PARA ALGO ALÉM DE MATAR A FOME DE SEM TERRA?

  • 27 de setembro de 2012 em 4:04
    Permalink

    lastimável… espero que o bom senso da nossa presidenta venha à tona e barre a medida e proteja nossas flroestas. Já nao basta a hidreletrica do Xingu, Madeira e minaradoras que estao destruindo o que ainda há de área natural no nosso país… Mais essa agora.

Fechado para comentários.