Desmatamento na Amazônia foi de 232 Km² em agosto, diz Imazon

O Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) detectou 232 Km² de desmatamento na Amazônia Legal em agosto de 2012.

Os dados do desmatamento e degradação florestal na Amazônia Legal foram divulgados nesta sexta-feira. A organização, sediada em Belém (PA), considera agosto como primeiro mês do novo ano de desmatamento.

Houve diminuição de 3% em relação a agosto de 2011 quando o desmatamento somou 239 Km². Desse total, 50% ocorreram no Pará, seguido por Mato Grosso (19%), Amazonas (16%) e Rondônia (15%).

As florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 60 Km² em agosto de 2012. Em relação a agosto de 2011 houve uma redução (54%) quando a degradação florestal somou 131 Km². Em agosto de 2012, a degradação ocorreu principalmente no Pará (54%) e no Mato Grosso (35%).

Os 232 Km² de desmatamento comprometeram 1,2 milhões de toneladas (com margem de erro de 342 mil toneladas) de carbono. A quantidade de carbono afetada resulta em 4,5 milhões de toneladas de CO² equivalente. Isso representa uma redução de 66% em relação a agosto de 2011 quando o carbono florestal afetado foi de 13,6 milhões de toneladas. Em agosto de 2012, a cobertura de nuvens foi significativamente reduzida e com isso foi possível monitorar 84% da Amazônia Legal.

O aumento do desmatamento em relação a agosto de 2011 foi expressivo no Amazonas (+66%) e Mato Grosso (+21%). Por outro lado, houve redução no desmatamento em Roraima (-100%), Acre (-89), Rondônia (-26) e Pará (-2%).

Com exceção do Pará, todos os estados da Amazônia apresentaram redução da degradação florestal em relação a agosto de 2011.

Em julho de 2012, grande parte (53,5%) do desmatamento ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante do desmatamento foi registrado em Unidades de Conservação (22%), Terras Indígenas (0,5%) e Assentamentos de Reforma Agrária (24%).

O SAD registrou 56 Km² de desmatamento nos Assentamentos de Reforma Agrária durante agosto de 2012 e detectou 50 Km² de desmatamento em Unidade de Conservação.

Por: Altino Machado
Fonte: Terra magazine / Blog da Amazônia 

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.