Edmilson Rodrigues (PSOL) e Zenaldo Coutinho (PSDB) disputam segundo turno em Belém

Edmilson Rodrigues (PSOL), à esq., disputará o segundo turno contra o candidato Zenaldo Coutinho (PSDB), à dir.

O candidato do PSOL à Prefeitura de Belém, Edmilson Rodrigues, vai disputar o segundo turno das eleições municipais com o candidato do PSDB, Zenaldo Coutinho. Os dois concorrem ao cargo de prefeito do município em 28 de outubro.
Concorreram também ao pleito, José Priante (PMDB), Alfredo Costa (PT), Jefferson Lima (PP), Arnaldo Jordy (PPS), Anivaldo Vale (PR), Marcos Rego (PRTB), Sérgio Pimentel (PSL) e Leny Campelo (PPL).

Se levar o segundo turno, Rodrigues poderá ser o primeiro prefeito do PSOL em capitais. O partido foi criado há sete anos por dissidentes do PT.

Arquiteto de formação, Rodrigues foi deputado estadual de 1987 a 1994, prefeito de Belém em 1997 e reeleito em 2000 pelo PT. Em 2005, filiou-se ao PSOL. Em 2010, foi reeleito deputado estadual.

Arquiteto de formação, Rodrigues foi deputado estadual de 1987 a 1994, prefeito de Belém em 1997 e reeleito em 2000 pelo PT. Em 2005, deixou o Partido dos Trabalhadores e filiou-se ao PSOL. Em 2010, foi reeleito deputado estadual.

Com discurso mais moderado, Rodrigues abandonou bandeiras que o PSOL defende em outras cidades, como o calote da dívida pública, a redução da tarifa de ônibus e os cortes de cargo de confiança.

Apesar disso, formou uma coligação só com os principais partidos de esquerda do país (Pc do B, PSOL e PSTU). Só o radical PCO (Partido da Causa Operária) ficou de fora, afirmando que a campanha do prefeito eleito fora “financiada pelos capitalistas”.

O candidato teve mais de 80% da sua campanha bancada por empresas, segundo prestação entregue à Justiça Eleitoral em setembro. Foram arrecadados R$ 476,4 mil, dos quais R$ 389,4 mil da iniciativa privada.

Ao associar o seu discurso aos trabalhos realizados quando esteve na prefeitura, desagradou o candidato Alfredo Costa (PT), que atribui as realizações ao Partido dos Trabalhadores.

Do outro lado da disputa está Zenaldo Coutinho. Político “rodado”, já foi vereador em Belém pelo antigo PDS, deputado federal pelo PSDB e deputado estadual pelo PTB. Na Câmara dos Deputados, antes de se licenciar, em julho deste ano, era crítico ativo do governo de Dilma Rousseff.

Por causa disso, repetiu várias vezes durante a campanha que não acredita que sua postura de oposição irá prejudicar o repasse de verbas federais a Belém. Seu argumento foi sempre as parcerias estabelecidas entre o governo federal e o do Estado do Pará, atualmente ocupado pelo PSDB.

Entre suas propostas está ampliar a cobertura do programa “Saúde da Família”, concluir as obras do BRT (Bus Rapid Transit – sistema de corredores exclusivos de ônibus) e oferta de educação de tempo integral nas escolas municipais.

Fonte: UOL Eleições

Deixe um comentário