Etnias krahô-canela, javaé e avá canoeiro são recebidas na PGR

Lideranças indígenas reivindicaram questões de terra e de melhoria de infraestrutura

A Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais do Ministério Público Federal recebeu nesta quarta-feira, 12 de dezembro, lideranças indígenas das etnias krahô-canela, javaé, avá canoeiro e representante do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Os indígenas trouxeram à Câmara alguns dos problemas relacionados às suas terras. No encontro, ficou definido o agendamento de nova reunião, também com a presença da Funai, Incra e Ibama.

Os krahô-canela reivindicaram a complementação de seu território, já que este foi demarcado em uma área menor. A previsão é de que a Funai efetive essa aquisição complementar em 2014, mas os indígenas solicitaram a antecipação para 2013. Além disso, os indígenas pediram a conclusão da estrada que dará acesso à aldeia. Segundo as lideranças, existe um recurso de R$ 11 mil destinado a essa finalidade.

Os krahô-canela ainda pleitearam serem ouvidos quanto à implantação do programa Prodoeste, que prevê a construção de barragens no Rio Formoso, impactando terras indígenas. Durante a reunião, a coordenadora da Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais, Deborah Duprat, esclareceu que os indígenas têm o direito de ser consultados quanto a esses projetos.

Já a liderança dos avá canoeiro solicitou serem esclarecidos sobre a identificação da Terra Indígena Avá Canoeiro, que está sendo contestada na justiça. A Coordenadora da Câmara esclareceu, ainda, que questões como aposentadoria, distribuição de cestas e concessão de benefícios estão sendo tratadas pela Procuradoria da República em Tocantins. Há, inclusive, ação judicial em curso na Justiça Federal do Tocantins sobre a questão.

Fonte: MPF – Ministério Público Federal

Deixe um comentário