Amigos acompanham tragédia pelas redes sociais

O incêndio na boate Kiss em Santa Maria, Rio Grande do Sul, refletiu também em Mato Grosso. A jovem Flávia de Carli Magalhães, de 18 anos, cresceu com a família na cidade de Campo Novo dos Parecis (396 km a noroeste de Cuiabá) e é uma das 231 vítimas fatais da tragédia, outras 75 pessoas estão em estado grave.

Após a morte da mãe de Flávia, durante o parto do irmão mais novo, a família acabou se mudando e atualmente mora em Palmeiras das Missões, localizada a 374 quilômetros de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. A jovem cursava o primeiro ano da faculdade de Administração na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Como haveria uma festa em Santa Maria, cidade que fica a 225 km de Palmeiras das Missões, ela e o namorado Luiz Fernando Donati, também com 18 anos de idade, resolveram passar o fim de semana na cidade.

Silvia Schneiders conheceu a família antes mesmo de morar em Mato Grosso. Ela conta que ficou próxima da mãe de Flávia em Mato Grosso do Sul e que conheceu a garota ainda na barriga da mãe. “Ela era uma menina especial, muito família, não merecia sofrer o que sofreu. Não consegui mais dormir direito depois que fiquei sabendo do acidente.” Ela conta que a aflição se estendeu por muitas horas, pois havia uma suspeita de um sobrinho, que mora em Santa Maria, também ter ido à boate. “Ficamos acompanhando na TV e nas redes sociais o tempo todo. Felizmente o meu sobrinho não estava no local, mas mesmo assim não conseguimos nos conformar”, disse.

Segundo um amigo da vítima, que não quis ter o nome divulgado, as redes sociais foram as principais fontes de informação e logo após o incêndio, havia uma comoção na cidade de Campo Novo dos Parecis. “Ficamos acompanhando pelo ‘Facebook’ o tempo todo para tentar nos interar sobre tudo o que estava acontecendo. A distância fica tudo muito difícil, mas a cidade de um modo geral sentiu. A dor não cabe em nós”, completou.

Por: Gustavo Nascimento
Fonte: Diário de Cuiabá 

Deixe um comentário