PF prende em RO fazendeiro acusado de pedofilia no AC

Acusado de participar como cliente de uma rede de prostituição e pedofilia em Rio Branco (AC), o fazendeiro Adálio Cordeiro, 80, foi preso pela Policia Federal na tarde desta quarta-feira em Ji-Paraná (RO). Faz um ano que Cordeiro recebeu do governador do Acre, Tião Viana (PT), a insígnia no Grau de Cavaleiro, do Quadro Especial da Ordem da Estrela do Acre.

O fazendeiro estava foragido da Justiça desde o final de novembro, quando a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre revogou decisão do desembargador Francisco Djalma da Silva, que havia concedido, em decisão liminar, a liberdade dele.

Cordeiro foi preso no ano passado junto com Assuero Doca Veronez, um dos principais expoentes em defesa de um novo Código Florestal, que foi afastado temporariamente do cargo de vice-presidente da Confederação Nacional de Agricultura após o escândalo. Veronez continua foragido.

Os dois ruralistas foram presos em decorrência da operação Delivery, a pedido do Ministério Público do Acre, por ordem do juiz Romário Divino Faria, da 2ª Vara da Infância e da Juventude de Rio Branco. Os nomes deles ainda constam no Banco Nacional de Mandados de Prisão, assim como nos demais sistemas de informação da polícia.

– Adálio já foi submetido a exame de corpo de delito, prestou depoimento à Polícia Federal e estamos aguardando ser notificados do cumprimento do mandado de prisão. A partir disso, vamos pedir a transferência dele de Ji-Paraná para Rio Branco com urgência por causa da precariedade do presídio naquela cidade – disse o advogado Emilson Péricles Brasil.

Foragido da justiça, com o nome no Banco Nacional de Mandados de Prisão, assim como nos demais sistemas de informação da polícia, o pecuarista Assuero Doca Veronez, acusado de envolvimento com uma rede de prostituição e pedofilia em Rio Branco, permanece no cargo de presidente da Federação da Agricultura do Estado do Acre.

No começo de novembro, quando foi preso pela Polícia Federal, a pedido do Ministério Público do Acre, a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) divulgou nota comunicando o afastamento imediato de seu vice-presidente.

Assuero Veronez permanecerá afastado das funções na CNA até o julgamento do caso. A CNA considerou “indefensável o envolvimento de qualquer cidadão” com a exploração sexual de menores.

– A diretoria está decidindo. Quando realmente tiver o que ser dito, vai ser dito – disse a assessoria de comunicação da Federação da Agricultura do Estado do Acre.

Por: Altino Machado
Fonte: Terra Magazine/ Blog da Amazônia 

Deixe um comentário