Braxcel e GFP negociam fornecimento de madeira no TO

A Braxcel Celulose, empresa do grupo paulista GMR que planeja construir uma fábrica da matéria-prima no Tocantins, está negociando com o fundo americano Global Forest Partners (GFP) um acordo que envolve o plantio de 50 mil hectares de eucalipto e fornecimento de madeira para a futura unidade fabril, a partir de 2019. No total, o contrato poderá movimentar R$ 500 milhões, em desembolsos graduais, considerando-se preço médio de R$ 45 por hectare e produtividade de 250 metros cúbicos por hectare.

Ontem pela manhã, o GFP, uma das mais antigas “timos” (do inglês Timber Investment Management Organization) do mundo e gestora de US$ 3,2 bilhões em ativos florestais, recebeu do governo do Tocantins a licença ambiental para o plantio de 50 mil hectares de florestas no Estado, que serão endereçados à Braxcel conforme o acordo em negociação. Numa segunda fase de investimentos, a área plantada pelo GFP, por meio da Valor Florestal, que representa o fundo americano no país, poderá alcançar 100 mil hectares.

De acordo com o presidente da Braxcel, Guilherme Sahade, com a nova área, a futura produtora de celulose garante quase dois terços da madeira necessária para a operar uma fábrica de 1,5 milhão de toneladas/ano de celulose. “Eles já têm 18 mil hectares plantados e devem chegar a 50 mil em dois ou três anos.” A empresa, por sua vez, possui 55 mil hectares de eucalipto plantado, entre áreas próprias e de terceiros. No total, serão necessários 180 mil hectares para garantir a operação da unidade fabril.

O investimento total da Braxcel no projeto de celulose está estimado em R$ 5 bilhões, com início de operação em dezembro de 2018. De acordo com Sahade, a empresa segue avaliando a entrada de um sócio no empreendimento – grupos internacionais, entre os quais produtores asiáticos, chegaram a procurar a Braxcel.

O grupo GMR faturou R$ 700 milhões em 2011, iniciou atividades no setor imobiliário, onde permanece até hoje, e é acionista da CPFL Renováveis.

Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário