Copa: Rede de Controle faz visita técnica às obras da Arena Pantanal em Cuiabá

Objetivo foi atualizar as informações sobre o andamento da obra, que custará cerca de R$ 520 milhões

Representantes dos órgãos que integram a Rede de Controle do Gasto Público em Mato Grosso fizeram uma visita técnica à obra do estádio Arena Pantanal, que está sendo construído para a realização de jogos da Copa do Mundo de Futebol na cidade de Cuiabá. A obra, que começou em 2010 com a demolição do antigo estádio José Fragelli, custará em torno de R$ 520 milhões.

Segundo a procuradora da República Vanessa Ribeiro Scarmagnani, a presença dos representantes da Rede de Controle no canteiro de obras em companhia dos novos gestores da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) teve o objetivo de atualizar as informações sobre o andamento da obra e conhecer o estágio atual da construção do empreendimento, que engloba o novo estádio e a integração com as obras já existentes do ginásio Aecim Tocantins, do parque aquático e do Palácio das Artes Marciais.

“São três os objetivos básicos da visita, do ponto de vista do trabalho desempenhado pela Rede de Controle: aproximação com os novos gestores da Secopa, facilitar o acesso das equipes de fiscalização e auditoria e a atualização das informações para subsidiar a atuação dos órgãos que integram a Rede de Controle, no sentido de fiscalizar a aplicação correta dos recursos públicos e as condições de acessibilidade”.

Em Mato Grosso, o Ministério Público Federal tem duas frentes de atuação no que diz respeito à construção da infraestrutura para os jogos mundiais. A área de cidadania tem monitorado as condições de acessibilidade da estrutura física para os diversos públicos. A outra área de atuação tem foco nas obras de infraestrutura para os jogos mundiais com a atenção voltada para a fiscalização da aplicação dos recursos públicos, prevenção do desperdício e gastos indevidos.

Segundo a procuradora, a visita técnica realizada nesta quarta-feira, 6 de março, auxiliará no desenvolvimento da atuação conjunta dos órgãos que integram a Rede de Controle.

“Essas agendas sistemáticas feitas com a Rede de Controle em reuniões fechadas ou aqui na obra têm uma avaliação muito positiva porque saem daqui sugestões não observadas e que no futuro poderia haver desperdício de recurso público”, avaliou o secretário extraordinário da Copa, Maurício Magalhães.

Atuação integrada

A Rede de Controle da Gestão Pública é um fórum integrado por órgãos da administração pública que buscam uma atuação articulada na prevenção e controle do gasto público.

Instalada em Mato Grosso em 2010, por iniciativa do Tribunal de Contas da União, atualmente a Rede de Controle é composta por treze órgãos: Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas da União, Tribunal de Contas do Estado, Polícia Federal, Receita Federal, Caixa Econômica Federal, Advocacia Geral da União, Auditoria Geral do Estado, Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia e Casa Civil.

Fonte: MPF – Ministério Público Federal

Deixe um comentário