Líder indígena brasileiro ganha prêmio ‘Herói da Floresta’ da ONU

Almir Suruí, de Rondônia, fez parceria com Google para monitorar floresta. Ele está na Turquia para receber o título internacional.

Almir Suruí, líder indígena de Rondônia, é um dos vencedores do prêmio “Herói da Floresta” este ano. O título é concedido pelas Nações Unidas.

A cerimônia oficial de entrega estava prevista para acontecer na noite desta quarta-feira (10) em Istambul (hora local), onde acontece o Fórum sobre Florestas da ONU, que congrega representantes de 197 país.

Os outros quatro “Heróis da Floresta” deste ano são dos Estados Unidos, Ruanda, Tailândia e Turquia. Almir é o vencedor pela América Latina e o Caribe. Líder dos índios paiter suruí, Almir criou diferentes iniciativas para proteger e desenvolver a Terra Indígena Sete de Setembro, em Rondônia, onde mora.

O projeto mais conhecido usa a internet para valorizar a cultura de seu povo e combater o desmatamento ilegal. A partir de uma parceria com o Google e algumas ONGs, os suruí colocaram à disposição dos usuários da rede um “mapa cultural” que dá informações sobre sua cultura e história.

Eles também usam telefones celulares para tirar fotos da derrubada ilegal de floresta, determinando com o GPS o local exato do crime ambiental e enviando denúncias a autoridades competentes.

No ano passado, outros brasileiros já haviam sido premiados como “Heróis da Floresta” pela ONU: Paulo Adário, diretor do Greenpeace para a Amazônia, e o casal de ativistas José Cláudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo,assassinado no Pará em maio de 2011, que foi nomeado como uma homenagem póstuma.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Um comentário em “Líder indígena brasileiro ganha prêmio ‘Herói da Floresta’ da ONU

  • 11 de abril de 2013 em 21:36
    Permalink

    Fico feliz pelo reconhecimento internacional de um índio brasileiro que ainda tenta buscar alternativas a aculturação e ao progresso predatório(devastação do meio ambiente). Percebe-se uma diferença no tratamento, enquanto aqui a repressão e a matança continua sob as vistas grossas do capital e do poder, eles recebem prêmios internacionais. Quem cometeu erros no passado, hoje busca remissão reconhecendo o valor da preservação ambiental, a esperança é que um dia todo o povo brasileiro tenha essa visão.

Fechado para comentários.