AC: desembargadora sofre ameaça de morte por combater corrupção

Desembargadora Denise Bonfim

Presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), Raimundo Nonato da Costa Maia, disse nesta terça-feira, em Rio Branco, durante entrevista coeltiva, que a desembargadora Denise Castelo Bonfim está ameaçada de morte. As ameaças já foram comunicadas ao presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargador Roberto Barros.

– A desembargadora, que atingiu pessoas que exercem cargo de relevância na administração, de repente se vê atacada e, pior, se vê ameaçada. Ela tem recebido ligações não identificadas, em seu celular, a ameaçando de morte, além de um boato, promovido dentro da penitenciária, que ela deveria ser eliminada. Quero dizer bem claro que esse tipo de intimidação em nenhum momento vai fazer qualquer juiz recuar ou deixar de cumprir o seu dever. Nós, quando assumimos esse papel de magistrado, prestamos um juramento perante a sociedade, a Constituição e as leis. Nós iremos cumprir a nossa missão, doa a quem doer, sem recuar em nenhum momento. Nós hipotecamos total apoio à desembargadora, deixando bem claro que não é nenhuma ameaça que vai intimidar o Poder Judiciário do Acre e seus juízes – afirmou o juiz Raimundo Maia.

O presidente da Asmac acrescentou que vai pedir a intervenção do presidente do Supremo Tribunal Federal no caso. A desembargadora Denise Bonfim foi quem autorizou a Polícia Federal a realizar prisões preventivas, busca e apreensão e de condução coercitiva, bloqueio de bens e compartilhamento de provas durante a Operação G-7, que já prendeu 15 empreiteiros e secretários do governo do Acre envolvidos com o grupo de sete empresas de construção civil que atuava de modo articulado para fraudar licitações de obras públicas no Acre.

Por: Altino Machado
Fonte: Terra Magazine/ Blog da Amazônia 

Deixe um comentário