‘Geografia do dendê na Amazônia Paraense’ é tema de debate

Grupo de estudo da UFPA mostra resultados de pesquisa sobre dendê. Estudo revela os impactos do cultivo do dendê sobre as populações.

Os impactos do cultivo do dendê sobre as populações tradicionais na Amazônia Paraense será tema de uma discussão na Universidade Federal do Pará (UFPA), na próxima terça-feira (25). O professor Doutor João dos Santos Nahum, através da palestra “Geografia do Dendê na Amazônia Paraense” vai expor como as populações têm sua vida remodelada em função do dendê.

O evento, uma realização do Grupo de Pesquisa Dinâmico Territoriais do Espaço Agrário na Amazônia (GDEA), mostra para a comunidade acadêmica e público em geral os resultados do primeiro ano de estudos do Projeto de Pesquisa “Uso do Território, Dendeicultura e Modo de Vida Quilombola na Amazônia Paraense, mostrando a geografia do dendê na Amazônia Paraense”.

Na Faculdade de Geografia e Cartografia da UFPA existem dois projetos de pesquisa e um de extensão que estudam o dendê, em torno de temas como: Dendê Quilombola, Dendê e Campesinato Tradicional e As Alternativas da Agricultura Familiar diante do Dendê. Os projetos, segundo o professor Nahum, são pesquisas que visam o olhar crítico, mais voltado para a Geografia Humana, que buscam saber quem são as pessoas e comunidades que se beneficiam com a plantação e cultivo do dendê.

De acordo com a pesquisa, as comunidades sofrem dois tipos de impactos por conta do cultivo do dendê: o primeiro seria o estímulo, quando começam a cultivar o dendê, abandonam seu modo de vida tradicional. O segundo seria a transformação da sua policultura familiar em uma monocultura de dendê. Ou seja, praticamente todos os trabalhadores dessas comunidades direcionam-se para se tornar um produtor de dendê, seja como assalariado ou como cultivador.

Fonte: G1

Deixe um comentário