Equipe da PRF vai negociar liberação da BR-222, no Maranhão, bloqueada por manifestantes

Uma equipe de policiais rodoviários federais está a caminho do município maranhense de Buriticupu, a 405 quilômetros de São Luís, para negociar a liberação da BR-222, segundo informou à Agência Brasil, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) por meio do Núcleo de Comunicação.

A rodovia está bloqueada desde quarta (21) por manifestantes que pedem o fim da operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) contra a retirada de madeira ilegal na região. Com a interdição, muitos veículos permanecem parados em postos de combustíveis ou mesmo à beira da estrada.

De acordo com a chefe do Núcleo de Fiscalização do Ibama, Ciclene Brito, o órgão acionou a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão para fazer a desobstrução da rodovia.

No final da tarde dessa quarta-feira, um dos manifestantes foi morto a tiros e outro ficou ferido. Eles cobravam pedágio dos motoristas que tentavam usar desvios dos locais interditados na rodovia. Após discussão, um motorista atirou em um homem identificado como Francinaldo da Silva Rodrigues, de 24 anos, que morreu no local. Antônio da Silva Rodrigues, de 64 anos, pai da vítima foi esfaqueado e está internado, em estado grave, em um hospital da cidade.

Há pouco mais de dois meses, o Ibama com o apoio do Exército faz na região a Operação Hileia Pátria de combate a crimes ambientais na Reserva Biológica do Gurupi e municípios no entorno da área da reserva, onde ocorrem desmatamentos ilegais. Antes de Buriticupu, a operação passou pelos municípios de Zé Doca, de Centro do Guilherme e Santa Luiza do Paruá.

Segundo o comandante das tropas do Exército envolvidas na operação, coronel Álvaro Rocha, o protesto em Buriticupu tem incentivo dos madeireiros da região, que estão incomodados com a presença do Exército. Grande parte do dinheiro que circula na cidade é proveniente da extração ilegal de madeira.

Segundo relatório parcial do Ibama e do Instituto Chico Mendes, a operação fechou, em Buriticupu, 19 empresas, aplicou R$ 250 mil em multas, apreendeu mais de 600 metros cúbicos de madeira e três madereiras em Buriticupu e duas na região de Novo Bacabal tiveram os maquinários desmontados.

Por: Luciano Nascimento
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Aécio Amado

Deixe um comentário