Primeira turbina de Jirau já opera em teste desde o último dia 17

Operação comercial de turbina deve ter início a partir do dia 22 de agosto

A Usina Hidrelétrica Jirau (RO- 3.750 MW) já está fornecendo energia ao Sistema Interligado Nacional, em caráter de teste. O sincronismo ao sistema de sua primeira unidade geradora, de 75 MW, situada na Casa de Força da margem esquerda, foi realizado com sucesso às 6:01 da manhã do último sábado, 17 de agosto. A máquina deverá completar todos os requisitos dos procedimentos de rede do Operador Nacional do Sistema Elétrico até a próxima semana e iniciar a geração comercial no dia 22 de agosto.

No último dia 9, a Agência Nacional de Energia Elétrica autorizou, em regime de teste, a operação da primeira unidade geradora da Usina Jirau. De acordo com o diretor de Desenvolvimento da Energia Sustentável do Brasil – consórcio desenvolvedor da obra -, Pedro Augusto Denadai Carelli, os testes mecânicos e elétricos foram conduzidos com êxito e a máquina respondeu com desempenho satisfatório.

Para o diretor de operação da empresa, Isac Teixeira, a partir de agora, com a máquina sincronizada os testes em carga terão continuidade para ajustes nos reguladores de velocidade e de tensão, além da verificação do comportamento da máquina frente ao sistema elétrico e disponibilização para a operação comercial. Segundo ele, o cronograma de testes em carga deverá se encerrar no dia 21 de agosto, e a partir daí a unidade estará apta para a operação comercial.

A unidade geradora é a primeira máquina a ser sincronizada de um total de 50 que compõem a UHE Jirau. Serão 22 máquinas de procedência chinesa na Casa de Força da margem esquerda. Elas foram fornecidas pela empresa Dong Fang Electric Corporation. Na margem direita são outras 28, de projeto e fabricação nacional, fornecidas pelo consórcio das empresas Alstom, Voith e Andritz.

De acordo com o cronograma do empreendimento, outras duas unidades geradoras da margem esquerda poderão ser testadas ainda em 2013, paralelamente a uma unidade da margem direita. Três linhas de transmissão de 550 kV interligarão Jirau à Subestação Coletora de Porto Velho, por meio da qual a energia produzida pela Usina será escoada para a região Sudeste por duas linhas de transmissão de corrente contínua, controladas por filtros retificadores, e também poderá abastecer o Sistema Acre-Rondônia, por meio de filtros conversores em configuração back-to-back. Ainda de acordo com Isac Teixeira, devido ao fato da linha de corrente contínua ainda não ter sido testada, toda energia gerada pela primeira unidade será distribuída aos estados de Rondônia e Acre.

Fonte: Canal Energia

Deixe um comentário