UHE Jirau deverá entrar em operação comercial até setembro

Transferência da usina para a Tractebel deverá ocorrer apenas no ano que vem

A hidrelétrica de Jirau deverá entrar em operação comercial entre agosto e setembro desse ano, segundo o gerente de Relações com o Mercado da GDF Suez, Elio Wolff. Ele disse que nesse segundo trimestre de 2013 foram tomadas decisões importantes em relação a usina. Uma delas diz respeito a decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica, que autorizou a elevação da cota da UHE Santo Antônio, localizada também no Rio Madeira, de 70,5 metros para 71,3 metros e a cessão de 21,3 MW médios de energia firme para a hidrelétrica de Jirau, equivalente a 24,3 MW médios de garantia física.

“Além disso, Jirau foi enquadrado como projeto prioritário, de forma a poder emitir debêntures de infraestrutura”, destacou o executivo. Quanto a energia extra, Wolff afirmou que Jirau identificou uma energia adicional de 90 MW médios, muito além dos 24 MW médios que Santo Antônio irá ceder à usina vizinha. A Energia Sustentável do Brasil, através do governo brasileiro, está tentando um acordo com a Bolívia para tentar aumentar a cota do reservatório de Jirau e, assim, conseguir uma energia adicional maior, de pelo menos 57,3 Mwmédios. No entanto, o aumento da cota do reservatório da usina irá impactar áreas bolivianos e, por isso, precisa de um acordo entre os dois governos.

“Em adicional aos 24 MW médios, a energia da Bolívia vem para complementar, podendo inclusive passar dos 90 MW médios. Não existe restrição de ficar nos 57 MW médios ou nos 24 MW médios. A possibilidade é de, eventualmente, até passar dos 90 MW médios”, afirmou Wolff durante teleconferência para apresentação dos resultados do segundo trimestre da Tractebel Energia, que aconteceu nesta quinta-feira, 1º de agosto. Questionado sobre quando se teria uma decisão sobre o tema, o executivo afirmou que a “questão do timing é muito difícil, pois é uma discussão entre dois governos”. A Aneel já deixou claro que, caso a ESBR venha conseguir um acordo com a Bolívia, Santo Antônio não precisará mais ceder parte da sua energia extra à Jirau.

Apesar de entrar em operação nesse ano, a UHE Jirau só deverá passar para a Tractebel Energia, subsidiária da GDF Suez, no ano que vem. “Todos os grandes projetos começam na GDF Suez como forma de proteger a Tractebel. A usina só será transferida depois que os maiores riscos forem mitigados”, completou Manoel Zaroni, diretor presidente da Tractebel Energia.

Por: Carolina Medeiros
Fonte: Agência CanalEnergia

Deixe um comentário