Pará: Médicos estrangeiros seguirão para 28 municípios

Na tarde do último sábado, 61 médicos estrangeiros e um brasileiro formado no exterior desembarcaram na Base Aérea de Belém, para participar do programa “Mais Médicos” no Pará. Os profissionais, a maioria cubanos, chegaram em três aviões da Força Aérea Brasileira (Fab) e foram recepcionados pelo secretário de Saúde do Estado, Hélio Franco, representantes do Ministério da Saúde e integrantes do Partido dos Trabalhadores. No saguão de desembarque, os médicos, que irão atuar em 28 municípios do Estado, foram recebidos com aplausos e presenteados com flores, cheiro do Pará e bombons regionais.

Diferente do que ocorreu em outras capitais do país, a recepção dos médicos estrangeiros em Belém foi marcada por muito acolhimento. “Eu estou sem palavras para tanto carinho. Vou fazer o máximo possível para retribuir essa acolhida calorosa com o meu trabalho. Esse programa do governo é uma oportunidade muito bonita e muito humana para as pessoas que vivem excluídas de atendimento médico no Brasil. Por isso me sinto gratificada em participar”, declarou a cubana Maria Magdalena Basanta, médica especialista em medicina familiar.

Selecionada para atuar no arquipélago do Marajó, Magdalena diz que conhece pouco da região, mas se diz preparada para enfrentar a falta de estrutura que deve encontrar no trabalho. “Eu sei que a região que vou atuar é um território marcado pela pobreza e limitação em relação à estrutura médica, mas estou preparada para isso. Os meus anos de profissão sempre foram dedicados em atender aos mais necessitados, por isso quis participar desse programa. Trabalhei durante oito anos em comunidades carentes na Venezuela, e sempre deixei claro que o meu compromisso como médica é cuidar de gente da forma mais humanizada possível”, afirma a médica cubana.

Com 25 anos de experiência em medicina familiar, Xiomara Judith Carracedo, se emocionou com a acolhida e disse que vai fazer no Brasil o que sempre fez quando atuou em unidades de saúde em Cuba. “O meu trabalho é pautado no atendimento humano, desde que me formei, isso nunca mudou. E é essa forma de trabalhar que eu vou levar para a comunidade que fui selecionada. Vou priorizar a saúde do povo, principalmente em relação à prevenção de doenças. Foi para isso que profissionalizei”, garante Xiomara, que vai atuar no município de Rurópolis.

Brasileiro está entre os selecionados

Formado em medicina na Argentina, o brasileiro Rogério Oliveira, 32 anos, que também integra o programa, elogiou a iniciativa e disse que se sente feliz em ampliar o número de médicos nas regiões mais carentes do país. “Apesar de ter estudado medicina na Argentina e atuado como médico fora do país, eu sempre quis trabalhar em locais que a população realmente sente necessidade da presença médica, por isso fiz questão de participar desse programa”, explicou o médico, selecionada para trabalhar em Altamira.

“Além dos 28 municípios paraenses, o programa também vai atender dois distritos indígenas, um em Altamira e outro em Itaituba. Por isso o Ministério da Saúde vai oferecer uma ampla estrutura para que todos esses profissionais conheçam o máximo possível a realidade dessas comunidades. Antes de começarem a atuar, os médicos terão oportunidade de conhecer as peculiaridades de cada região e saber como funciona estrutura do serviço público de saúde em cada um desses locais”, informou Antônio Ribas, representante do Ministério da Saúde.

Na saída do aeroporto, os médicos ainda foram ovacionados por militantes de partidos políticos de esquerda e movimentos sociais. Antes de começarem a atuar nas unidades básicas de saúde, os profissionais ainda passarão uma semana de acolhimento no distrito de Mosqueiro, conhecendo toda a estrutura do serviço público de saúde dos locais aos quais foram designados.

Fonte: Diário do Pará

Deixe um comentário