Pai e filho, prefeito e suplente de deputado estadual são cassados no Pará

Ministério Público Eleitoral denunciou prefeito de Bagre por uso da máquina administrativa para conseguir votos para o pai, eleito suplente de deputado estadual

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no Pará cassou nesta terça-feira, 1º de outubro, o prefeito reeleito de Bagre, no Marajó, Cledson Farias Lobato Rodrigues, o Gordo, e o pai dele, o suplente de deputado estadual Cleber Edson dos Santos Rodrigues, conhecido como Gigante do Norte. Segundo representação do Ministério Público Eleitoral, nas eleições de 2010 o prefeito, em seu primeiro mandato, utilizou a máquina administrativa para apoiar a eleição do pai.

O prefeito e o suplente de deputado também foram condenados a pagamento de R$ 85 mil em multa. Por participação no esquema irregular, o secretário municipal de Assistência Social, Edilberto Prudente Vulcão, foi multado em R$ 53 mil. A vaga do prefeito cassado deverá ser assumida pelo vice-prefeito.

Segundo as investigações, para tentar eleger o pai o prefeito utilizava-se de sua influência política, de seu poder econômico, e da estrutura administrativa do município. Cledson Rodrigues chegou até a oferecer empregos em serviços públicos municipais para divulgar a campanha de Cleber Rodrigues.

Além disso, o grupo foi acusado de constranger participantes do programa Bolsa Jovem a exibirem bandeiras e cartazes do candidato a deputado, sob ameaça de exclusão desses beneficiários do programa. As investigações também apontaram que o prefeito paralisava os órgãos municipais para que servidores e alunos das escolas participassem de passeatas em favor do pai candidato.

A relatora dos casos no TRE foi a juíza Eva do Amaral Coelho. Representaram o Ministério Público Eleitoral no caso os Procuradores Regionais Eleitorais Alan Rogério Mansur Silva, Igor Nery Figueiredo e Daniel César Azeredo Avelino.

Fonte: MPF – Ministério Público Federal

Deixe um comentário