Projeto realizado na Amazônia incentiva a prática de ecoturismo sustentável como forma de conservação do boto-vermelho

O Projeto Ecoturismo Amigo do Boto-vermelho da Amazônia é patrocinado pelo Oi Futuro e pretende promover o turismo sustentável, melhorar a renda de uma comunidade ribeirinha, reabilitar e incentivar o bem estar de crianças com deficiência; além de contribuir com a conservação ambiental

Dados de estudos desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) em parceria com a Associação Amigos do Peixe-Boi (Ampa) apontam que a população de botos-vermelhos vem diminuindo 10% ao ano em algumas regiões da Amazônia. O motivo da redução da espécie é a caça. O animal é utilizado como isca na pesca de um peixe chamado piracatinga, que no Brasil é comercializado com o nome de douradinha.

Pesquisadores acreditam que disseminar conhecimento é uma forma de contribuir para a valorização dos recursos naturais. Assim, os resultados de pesquisas oriundas do Inpa e da Ampa trouxeram uma preocupação. Será que o boto-vermelho ainda habitará a bacia hidrográfica amazônica?

Baseados nestes estudos e critérios, a Ampa e seus parceiros elaboraram um projeto pioneiro de turismo sustentável e interação de baixo impacto com botos-vermelhos no estado do Amazonas: Ecoturismo Amigo do Boto-vermelho da Amazônia.

O projeto iniciou as atividades há três meses e já começou a se concretizar com a construção do flutuante que servirá como base para as atividades de interação com os botos. Aliado ao ecoturismo, a prática da Bototerapia com crianças com deficiência, desenvolvida pelo Instituto Anahata Bototerapia, criado há cinco anos e parceiro da Ampa há quatro; já desenvolve atividades de terapia na área onde será implantado o Flutuante Amigos do Boto-vermelho, na Comunidade São Thomé, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Rio Negro, no município de Iranduba (AM).

Bototerapia A Bototerapia vem sendo desenvolvida de forma filantrópica e nestes cinco anos de existência já atendeu voluntariamente mais de 200 crianças especiais de diversas entidades de Manaus, entre elas: Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Fundação Hematologia e Hemoterapia do Estado do Amazonas (FHEMOAM), Fundação de Apoio às Instituições de Proteção a Pessoas Portadoras de Deficiência (Fada), Associação de Amigos dos Autistas do Amazonas (AMA). Por se tratar de uma estrutura mais robusta, o Flutuante Amigos do boto-vermelho, por meio do Instituto Anahata Bototerapia, poderá atender por ano até 70 crianças com deficiência.

Visita técnica da Oi No último sábado (19), uma comitiva de representantes da empresa Oi de Telecomunicações e jornalistas visitaram a base do projeto Ecoturismo Amigos do Boto-vermelho da Amazônia. Na ocasião, tiveram a oportunidade de observar uma demonstração da atividade terapêutica com crianças especiais, a bototerapia, e conhecer um pouco mais sobre a biologia do boto-vermelho e a realidade dos ribeirinhos que habitam a comunidade São Thomé, que será beneficiada pelo projeto.

Segundo o diretor do Instituto Oi Futuro, Rafael Oliva, a ideia da visita é assegurar uma presença e um apoio às organizações beneficiadas pelo programa Oi Novos Brasis do Instituto.

“A ideia é incentivar projetos iniciantes ou organizações iniciantes. Esse do boto tem uma característica interessante porque ele contempla quase todos os campos do programa Oi Novos Brasis, a sustentabilidade, a acessibilidade, a economia e a sustentabilidade. Além do recurso oferecido, a gente faz um acompanhamento a cada três meses e isso gera recomendações e aconselhamentos. É um trabalho de apoio financeiro e técnico para que as instituições caminhem com as próprias pernas”, explica Oliva.

Edital

A Oi e o Oi Futuro divulgaram em abril desse ano, os 24 projetos selecionados para compor o programa Oi Novos Brasis. Em sua 9ª edição, o programa recebeu 578 inscrições de todo o Brasil, para apoio financeiro a projetos socioambientais que visam à sustentabilidade em suas três dimensões: social, econômica e ambiental. No Amazonas, dois projetos recebem incentivos da Oi, Ecoturismo Amigo do Boto-Vermelho da Amazônia da Ampa e Terapia Ocupacional: Resgatando as habilidades artísticas, minimizando a dor e gerando renda durante e após o tratamento de Câncer do Grupo de Apoio à Criança com Câncer do Amazonas (GACC-AM).

Por Séfora Antela
Fonte: Inpa

Deixe um comentário