Em Manaus, indígenas ocupam Funai e exigem saída de atual coordenador do órgão

Cerca de 30 índios de, no mínimo, quatro etnias estão acampados na sede do órgão, reclamando da falta de diálogo com o atual coordenador

Índios ocupam a sede da Funai em Manaus pedindo a saída do atual coordenador do órgão (Bruno Kelly)

Indígenas de várias etnias realizam, desde 15h30 desta segunda-feira (4), uma manifestação pacífica na sede da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Manaus, localizada na avenida Maceió, Zona Centro-Sul da capital. Até o final da tarde, o grupo era composto por 28 guerreiros das tribos Mura, Apurinã, Kokama e Miraña, que reivindicavam a exoneração do atual coordenador do órgão, Eduardo Desidério Chaves.

De acordo com o líder dos manifestantes, o cacique Ney Pacheco, há mais de um ano o coordenador assumiu o cargo e não deu início a nenhum diálogo com os indígenas. Ainda segundo ele, alguns integrantes do grupo buscam iniciar o procedimento do Rani (registro de identidade indígena), porém não recebem do órgão a documentação necessária.

“Chegamos aqui e não vimos ele (Desidério) sair. Disseram a nós somente que iam falar com o pessoal de Brasília para tentar obter alguma resposta”, afirma Pacheco.

Os indígenas informaram que uma assembléia interna foi realizada para sugerir um possível substituto para o cargo de Desidério Chaves, onde foi apontado o nome de Eudefonso Cavalcante.

Duas viaturas da Polícia Militar (PM) acompanham o protesto. Os indígenas estão acampados em redes no estacionamento da sede e informaram que a manifestação não tem previsão de término até que algum retorno seja dado.

O grupo prometeu esperar na sede da Funai pela chegada de outros índios nesta terça-feira (5), para dar continuidade à manifestação.

Fonte: A Crítica
Com informações da repórter Steffanie Schmidt

Deixe um comentário