Desmatamento: Apenas 1% das reportagens de jornais é investigativa

Entre janeiro de 2007 e dezembro de 2012, 44 jornais e quatro revistas semanais foram analisadas. O objetivo? Saber como a imprensa está cobrindo a pauta desmatamento. O estudo feito pela ANDI teve resultado revelado nesta semana. Quando o assunto é reportagem investigativa em jornais, apenas 1% de conteúdo foi encontrado.

Segundo o estudo, pouco mais de um terço da cobertura (36,1%) foi motivada por demandas ou ações do Poder Público. A divulgação de procedimentos ou de resultados de avaliações, levantamentos ou pesquisas governamentais foi responsável por 7,9% das pautas.

As reportagens geradas por iniciativas da própria imprensa representam apenas 14,2% do material analisado nos seis anos. Em relação às revistas, o tema também é motivado por ações governamentais, embora a proporção seja menor do que em jornais: 37,5% contra 47,8%. Por natureza, as semanais vão além do factual, assim, 27,5% das ideias foram geradas na própria redação, sendo 4,7% de cunho investigativo.

O estudo da ANDI teve supervisão editorial de Veet Vivarta, que na tarde de terça-feira, 10, participou de debate para apresentar os resultados da pesquisa. O encontro foi promovido pela instituição, em parceira com o Grupo Comunique-se. Com a participação de Daniela Chiaretti, do Valor Econômico, e de Mauro Pires, Consultor Técnico da pesquisa, a conversa foi mediada pela repórter Nathália Carvalho, do Portal Comunique-se.

Fonte: Comunique-se

Deixe um comentário