Resultados do projeto Pecuária Integrada de Baixo Carbono são destaque em Seminário do GTPS

O Projeto Pecuária Integrada de Baixo Carbono (PIBC), desenvolvido pelo Instituto Centro de Vida (ICV) e parceiros, em Alta Floresta, região norte de Mato Grosso, foi apresentado durante o VI seminário anual do Grupo de Trabalho de Pecuária Sustentável (GTPS), realizado em São Paulo na última quarta-feira (27).

O evento teve como objetivo apresentar diversos projetos de Pecuária Sustentável na prática, desenvolvidos por organizações de cinco estados brasileiros: Bahia, Pará, Mato Grosso do Sul e Rondônia, além de Mato Grosso.

Durante as apresentações, foi possível perceber que a maioria dos projetos est á em fases de planejamento e implantação, buscando um objetivo comum que é tornar a pecuária uma atividade produtiva e sustentável. “É necessário mudar a imagem de nossa pecuária, mostrando que é possível desenvolver uma atividade que seja economicamente viável, socialmente justa e economicamente correta”, disse Eduardo Brito Bastos, presidente do GTPS.

Vando Telles, coordenador da Iniciativa Pecuária Integrada do ICV, apresentou o objetivo, as atividades desenvolvidas e os principais resultados do PIBC, alcançados ao longo de um ano e meio de trabalho. “A produtividade média dentro das Unidades de Referência Tecnológicas (URT) apresentou um desempenho duas a três vezes maior do que a média do município e do estado, chegando a 13/15 arrobas por hectare ao ano para o gado de corte, segundo a avaliação feita de fevereiro a junho de 2013”, exemplificou o coordenador. Para se ter uma ideia, a produtividade média da microrregião de Alta Floresta no período foi de 4,70 arrobas por hectare ao ano e a do estado foi de 3,36 arrobas por hectare ao ano.

As informações foram reforçada s por um grupo constituído por oito pecuaristas de Alta Floresta e Cotriguaçu, parceiros do ICV no desenvolvimento de Boas Práticas Agropecuárias. Entre eles, Milton dos Santos explicou que no passado cometeu erros no desenvolvimento da atividade e que, agora, é preciso aprender novas práticas que tenham menos impacto no meio ambiente. “Na época tínhamos pouca informação, então derrubamos e tiramos tudo da terra. Agora temos que recuperar e com a ajuda do ICV temos essa oportunidade”, explicou o pecuarista.

A apresentação do projeto foi ilustrada por um vídeo, que pode ser acessado aqui.

Ainda durante o evento foram assinados dois acordos de cooperação do GTPS, sendo o primeiro com a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República para a construção da proposta de linha de crédito orientado e, o segundo, com o ministério do meio ambiente para a promoção e o apoio à regularização ambiental de imóveis rurais com foco no Cadastro Ambiental Rural (CAR).

O Projeto Cotriguaçu Sempre Verde

O projeto Cotriguaçu Sempre Verde visa contribuir para a construção de uma nova trajetória d e desenvolvimento socioambiental e econômico para esse município. Desenvolve iniciativas que aliam o apoio a gestão ambiental municipal, o bom manejo florestal (Prodemflor), as boas práticas agropecuárias, o apoio à governança social e ambiental nos assentamentos e a integração das áreas protegidas. O projeto é desenvolvido pelo Instituto Centro de Vida (ICV) e parceiros com apoio do Fundo Vale.

Fonte: ICV – Instituto Centro e Vida

 

Deixe um comentário