Relatório pede por uma nova agenda de segurança para a Amazônia

Ameaças crescentes à segurança de água, energia, alimento e saúde na Amazônia irão se multiplicar nas próximas décadas devido às mudanças climáticas, colocando em grave risco a população, os governos e as economias da América do Sul

Relatório lançado pelo Global Canopy Programme e pelo Centro Internacional para a Agricultura Tropical pede por uma nova agenda de seguridade para a Amazônia e para os países que a compõem, com foco não apenas na segurança nacional em seu sentido tradicional, mas no fortalecimento das bases fundamentais de uma sociedade próspera, com acesso sustentável a água, energia, alimentos e boa saúde para todos.

Manuel Pulgar, Ministro do Meio Ambiente do Peru, país que irá sediar a próxima Conferência Internacional do Clima (COP 20) em dezembro de 2014, disse que “apesar das mudanças climáticas serem um problema global, elas irão multiplicar problemas locais e regionais de maneira incalculável. Na América Latina, nós temos considerado a Amazônia e seu estoque de água e florestas como inesgotáveis. Porém, recentes secas severas e sem precedentes mostraram o que acontece quando a segurança hídrica é abalada: ela impacta a produção de alimentos e energia, afeta o bem-estar de toda a população e deixa uma conta pesada para governos e empresários pagarem. A ciência é clara, não podemos desperdiçar a oportunidade de tomar uma atitude positiva agora”.

O relatório, desenvolvido com o apoio de cientistas e lideranças políticas da Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador e Peru, traça recomendações iniciais para pavimentar o diálogo e a ação em cada um destes países. Como os ecossistemas amazônicos são compartilhados entre os países, é imperativo que os governos hajam de forma colaborativa e coordenada em resposta a estes riscos comuns.

Carlos Klink, Secretário Nacional de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Brasil reforça que “a cada dia entendemos melhor como se dá a interdependência entre água, alimentos, energia e saúde em nosso continente. Há também interdependência entre os países que compartilham a Amazônia, onde são reciclados trilhões de toneladas de água da qual dependem nossa população e economias. O desafio que começamos a reconhecer agora é o de efetuar a transição para uma economia mais sustentável, que reconheça o valor e o papel de uma Amazônia saudável na garantia de nossa segurança e prosperidade a longo prazo”.

Baixa o relatório completo em PDF

Fonte: Assessoria Global Canopy Programme

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*