“Peixes do rio Madeira” registra situação da ictiofauna da região antes das hidrelétricas

“Peixes do rio Madeira” – Y-Cuya­ri Pirá-Keta (nome do livro na língua tupi) é o título do livro lançado recentemente, numa produção coletiva que envolveu mais de 50 pesquisadores de instituições de pesquisas brasileiras e estrangeiras, dentre elas o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI). A obra representa uma ferramenta para futuros estudos sobre os peixes do rio Madeira, servindo como registro histórico de sua ictiofauna antes da instalação dos empreendimentos hidrelétricos de Santo Antônio e Jirau, em Porto Velho (RO).

O livro “Peixes do rio Madeira” também está disponível na versão digital e pode ser baixado gratuitamente neste site.

A publicação “Peixes do rio Madeira” é fruto de uma parceira entre a Santo Antônio Energia, a Universidade Federal de Rondônia (Unir), o Instituto de Estudos e Pesquisas Agroambientais e Organizações Sustentáveis (Ieapagro), o Inpa e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

O livro é resultado de quase dez anos de pesquisas e está dividido em três volumes, contendo mais de 1.000 páginas de textos e imagens sobre 736 espécies de peixes do rio Madeira. As informações utilizadas para a elaboração do livro foram obtidas durante os estudos ambientais referentes à construção da Usina Hidrelétrica de Santo Antonio, nas proximidades de Porto Velho, no rio Madeira.

Entre os autores, estão incluídos os pesquisadores Jansen Zuanon, Efrem Ferreira, Lúcia Rapp Py-Daniel e Geraldo Mendes dos Santos, da Coordenação de Biodiversidade (CBio/Inpa), bem como diversos alunos e ex-alunos do Programa de Pós-Graduação em Biologia de Água Doce e Pesca Interior (BADPI/Inpa).

A obra foi organizada pelos pesquisadores Luis Jardim de Queiroz, da Universidade de Genebra (UniGe), Gislene Torrente Vilara, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), William Massaharu Ohara, do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZUSP), Tiago Henrique da Silva Pires e Jansen Zuanon, ambos do Inpa, e Carolina Rodrigues da Costa Doria, da Universidade Federal de Rondônia (Unir).

“A partir da coleta, triagem e organização metódica de mais de 250.000 exemplares de peixes e de um trabalho sem proporções da equipe da Coleção de Peixes da Unir, concretizamos nosso objetivo quando em março deste ano tivemos o prazer de oficialmente lançar “Peixes do rio Madeira”, conta Jansen, um dos organizadores do livro.

Marco histórico

Para ele, esta obra representa um marco histórico para o conhecimento da ictiofauna amazônica e, em especial, para o desenvolvimento científico regional de Rondônia. ”A Unir abriga hoje o maior conjunto de lotes de peixes preservados da ictiofauna da bacia do rio Madeira disponível no mundo”, revela.

Jansen conta que esse material, que atualmente supera os 200.000 exemplares, constitui o mais completo registro da diversidade de peixes originalmente presente na bacia, e exigiu a construção de instalações adequadas para sua conservação. “Este precioso acervo biológico, abrigado no prédio das Coleções Zoológicas e Laboratórios Integrados da Unir, constitui o maior legado desse imenso esforço coletivo”, revela.

Segundo ele, essa coleção tem um valor científico e histórico incalculável e deve ser tratado como um patrimônio público de primeira grandeza.

Idealização

Em outubro de 2009, foi idealizado um projeto: elaborar um retrato da ictiofauna presente no rio Madeira. A implementação do Plano Básico Ambiental da UHE Santo Antônio, como parte do processo de mitigação dos impactos ambientais das usinas hidrelétricas no rio Madeira fez com que o pequeno acervo de peixes reunido até 2008 cedesse lugar a uma coleção com mais de 200.000 exemplares. A diversidade contida nessa coleção surpreende até os especialistas. Em alguns casos, chega a abrigar quase todas as espécies descritas pela ciência para algumas famílias de peixes.

Inspirados pela publicação do livro Check List of the Fresh water Fishes of South and Central America (Reis et al., 2003), os organizadores da obra convidaram pesquisadores especialistas na taxonomia e sistemática dos diferentes grupos de peixes capturados na bacia do rio Madeira.

Esses pesquisadores, de distintas gerações e pertencentes aos quadros de diversas instituições do Brasil e do exterior, integraram ao projeto dois fatores que foram cruciais para o sucesso da obra: experiência e motivação.

Com recursos do Programa de Conservação da Ictiofauna do rio Madeira, no âmbito do monitoramento da ictiofauna na área de influência da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, foi possível levar até a Coleção de Peixes da Unir taxonomistas especialistas, que puderam analisar in loco os grupos de peixes mais diversos e problemáticos do ponto de vista taxonômico.

Segundo Zuanon, outra parte considerável do material teve sua identificação aprimorada por meio do envio de material aos especialistas presentes em diversas instituições de ensino e pesquisa do país. Esse cuidado no tratamento dado pelos pesquisadores foi fundamental para a acurácia na identificação taxonômica dos lotes de peixes que atualmente estão depositados na coleção de peixes da Unir, e que estão representados no livro.

Por: Luciete Pedrosa
Fonte:  Inpa

Deixe um comentário

Um comentário em ““Peixes do rio Madeira” registra situação da ictiofauna da região antes das hidrelétricas

  • 16 de janeiro de 2017 em 17:23
    Permalink

    Aos. C/A.

    SANDO ANTÔNIO ENERGIA.

    .

    Sou um jovem educador-ambiental, sem recursos de uma entidade sem
    fins lucrativos,trabalho como voluntário em vários projetos,entre eles
    a educação-
    ambiental,principalmente através da formação do conhecimento.
    Sendo eu um amante da ictiofauna brasileira, possuo algumas edições de
    livros e fitas sobre a ictiofauna brasileira e
    faço uso desse pequeno acervo para o meu conhecimento e para, quando
    oportuno, apresentar sobre esse
    tema em escolas carentes e sem recurso (em programas como “amigos da
    escola”).
    Gostaria de ter acesso a um livro impresso sobre “PEIXES DO RIO MADEIRA”.
    para enriquecer ainda mais o meu acervo e para que eu possa tornar mais
    interessante ainda a minha amostra
    numa escola pública do meu bairro.
    Eu me disponho a arcar com custos de envio sedex.
    Cordialmente,
    ANDRÉ LUIZ CAETANO NEVE
    QE 20 CONJUNTO ‘O’ CASA 45
    GUARÁ – 1
    BRASÍLIA-DF CEP-71015-157
    CELULAR – 99315980.

    “QUE O SENHOR JESUS CUBRA VOCÊ

    E SUA FAMÍLIA COM MUITA SAÚDE,

    LUZ E PAZ NO CORAÇÃO.”

Fechado para comentários.