No Amapá, índios discutem a falta de infraestrutura nas aldeias

Encontro em Macapá discute ações públicas para melhoria nas aldeias. Uma das principais queixas é a falta de atendimento médico.

Representantes de várias tribos estão reunidos em Macapá. Eles discutem as ações públicas que podem ser adotadas para melhorar a condição de vida nas aldeias.

Muitos índios apareceram com as vestes tradicionais, com os cocares e as armas para participar do Encontro de Mobilização Pela Luta dos Direitos dos Indígenas. O acampamento foi montado em frente à Fortaleza de São José, o monumento histórico do Brasil Colonial mais importante de Macapá.

Cerca de 300 índios estão participando do encontro que termina nesta quinta-feira (17). Eles representam as 11 etnias do Amapá e do norte do Pará. No total, são mais de 11 mil índios vivendo em 200 aldeias.

Uma das principais queixas é sobre a falta de atendimento médico. Sebastião Kayshuiana mora na aldeia Tirió, no oeste do Amapá. O acesso é difícil e só é possível chegar de avião. Ele conta que nos postos de saúde da aldeia faltam medicamentos até para doenças mais simples, como a gripe.

Educação é outro tema bastante discutido no encontro. Questões como a revisão dos limites das terras indígenas também tem preocupado.

Jairo Bezerra, coordenador da Fundação Nacional do Índio no Amapá, esteve presente na assembleia e ouviu todas as reivindicações.

“Nós tivemos um corte de recursos pelo Governo Federal e muitas dessas reivindicações que a gente não consegue atender passamos para Brasília, mas pequenas coisas, como transporte e comunicação, aquilo que está dentro do nosso alcance, nós resolvemos por aqui mesmo”, diz Jairo.

Fonte: G1

Deixe um comentário