Após jogos concluídos da Copa, Arena da Amazônia ficará por enquanto sob cuidados do Estado

Segundo Agência de Comunicação do governo do Estado, somente depois do Mundial é que o Governo do Estado vai definir o futuro do estádio. A administração do estádio deve custar aos cofres públicos R$ 500 mil/mês

Considerada pela Fifa como a melhor das 12 subsedes da primeira fase da Copa do Mundo, Manaus e a Arena da Amazônia Vivaldo Lima, que recebeu quatro jogos nesse Mundial, encantaram os turistas de vários países e os brasileiros que não conheciam o estádio mais bonito do Brasil. Mas, passado o glamour dos jogos Itália x Inglaterra, Estados Unidos x Portugal, Croácia x Camarões e Suiça x Honduras, a pergunta que não quer calar é: qual vai ser o futuro da Arena da Amazônia depois da Copa do Mundo?

De acordo com nota enviada pela assessoria de imprensa da Unidade Gestora dos Projetos da Copa (UGP–Copa), a Arena da Amazônia, por enquanto, vai continuar sendo gerida pela Fundação Vila Olímpica.

“Existe um estudo que será finalizado em agosto pela empresa Ernest Young para definir o melhor modelo de concessão onerosa da Arena. A UGP deve ser desativada, mas com o fim dos jogos do Mundial em Manaus, o órgão estará empenhada na consolidação dos relatórios da realização do evento na cidade desde a escolha de Manaus como sede até o final do Mundial. Todo arcabouço dos documentos e relatórios serão importantes registros históricos da Copa do Mundo no Amazonas”, comunicou a assessoria de imprensa da UGP.

Apesar do governador José Melo (PROS) ter confirmado à imprensa no último dia 30 de abril, durante a partida entre Nacional e Corinthians, na Arena da Amazônia pela Copa do Brasil, que três empresas – uma do Canadá, outra da Alemanha e um consórcio brasileiro – estavam no páreo, para administrar a Arena, a Agecom (Agência de Comunicação do governo do Estado) afirmou ontem que somente depois da Copa do Mundo é que o Governo do Estado vai definir o futuro da Arena. E que, por enquanto, ainda não está nada definido em relação à administração do estádio que deve custar aos cofres públicos R$ 500 mil/mês.

Vasco da gama

O clube carioca – que antes da Copa do Mundo, jogou na Arena pela Copa do Brasil contra o Resende (RJ) – estaria interessado em voltar a Manaus, para enfrentar o Santa Cruz (PE) pela Série B do Brasileiro.

O diretor técnico da Federação Amazonense de Futebol (FAF), Ivan Guimarães, confirmou o interesse do clube cruz- maltino.

“Isso está sendo cogitado, (jogo entre Vasco e Santa Cruz) mas a administração da Arena da Amazônia Vivaldo Lima, pediu para não confirmar nenhum jogo na Arena até o final de julho”, afirmou Guimarâes.

No site oficial da CBF, o duelo entre cariocas e pernambucanos está com local indefinido.

Fonte: A Crítica

Deixe um comentário

Um comentário em “Após jogos concluídos da Copa, Arena da Amazônia ficará por enquanto sob cuidados do Estado

  • 27 de junho de 2014 em 17:12
    Permalink

    ADAMASTOR – Ex. Jogador do Atlético Rio Negro Clube/70.
    A maioria das pessoas vivem por empolgação e não pela razão, e esse povo (Governantes) amazonenses são assim.
    Observem que o futebol que Manaus pratica hoje, não encheria nem o saudoso Parque Amazonense, nem Colina.
    Já tinham o exemplo do Vivaldão que já estava obsoleto e abandonado, se não fosse o Peladão.
    Como se não bastasse, gastaram mais dinheiro construindo mais dois pequenos estádios que somado ao Campinho do Sesi que tem salvado o campeonato amazonense.
    Quando é eleição para escolha dos governantes, convoca-se o zé povinho, mas quando é para gastar em obras faraônicas de muito valor e de interesses, não se consulta o mesmo zé povinho. Os lucros são deles e o prejuízo é do zé povinho.
    No papel aparece mais de R$ 600.000.000,00 (Seiscentos Milhões de Reais)e na prática quanto valeu? Além das vidas perdidas que deixaram seus órfãos e viúvas a mercê da miséria.
    São tantas famílias sem teto, sem alimento, isto é, sem o básico para uma vida vegetar. Para gratificar dignamente o trabalhador brasileiro, não existe recursos, e de onde tiraram todos esses recursos para a construção de todas essas suntuosidades?

Fechado para comentários.