AC: SBPC paga diária de R$ 500 em motel para hospedar cientistas

Por causa da insuficiência de leitos na rede hoteleira, organizadores da 66ª Reunião Anual da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que será realizada no campus da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco, de 22 a 27 de julho, estão recorrendo de última hora aos motéis da cidade para reservar apartamentos e assegurar a participação de cientistas e pesquisadores do Brasil e exterior, além do pessoal de apoio.

Capital do Acre, Rio Branco dispõe apenas de nove hotéis, a maioria precários, que somam 2,7 mil leitos, dos quais 918 já estão reservados para a SBPC. A vice-reitora da Ufac, Guida Aquino, coordenadora da organização local da SBPC, e a secretária estadual de Turismo, Rachel Moreira, trataram de minimizar a situação.

Ambas disseram que a cheia histórica do Rio Madeira, no começo do ano, que culminou com o fechamento da BR-364, isolando o Acre do restante do país, atrapalhou a conclusão das obras de quatro novos hotéis que estão sendo construídos em Rio Branco.

– Imprevistos acontecem. Quando foi decidido que o evento seria realizado no Acre, contávamos com os quatro novos hotéis, mas apenas um deles foi inaugurado – disse a secretária de Turismo.

A vice-reitora Guida Aquino nega que a Ufac esteja envolvida na agenda de hospedagem.

– Nós apenas divulgamos a lista de hotéis e motéis como opção aos participantes. Não temos nenhuma responsabilidade. Três hotéis não ficaram prontos e isso nos trouxe um prejuízo grande. Não vejo problema nenhum alguém ficar hospedado num motel. Isso já aconteceu durante a reunião da SBPC realizada em Belém – acrescentou a coordenadora local da SBPC.

A lista de hotéis e motéis divulgada pela Ufac como opção de hospedagem dos participantes do evento inclui a Chácara Aliança, que há quase dois meses virou abrigo de imigrantes haitianos, dominicanos e africanos que passam pelo Acre em busca de trabalho nas demais regiões brasileiras, principalmente no sul e sudeste.

Embora as comissões organizadoras da SBPC e da Ufac tenham anunciado que não possuem qualquer vínculo com empresas de turismo ou hospedagem, nos últimos dias tiveram que percorrer motéis da cidade para negociar com proprietários o fechamento de estabelecimentos para receber convidados do evento.

O dono do motel mais luxuoso da cidade, que dispõe de nove apartamentos, relutou bastante quando os organizadores do evento sugeriram pagar diárias de R$ 200,00.

– Minha contraproposta foi de R$ 500,00 a diária, incluindo café da manhã, pois o motel terá que ficar fechado para meus clientes durante uma semana. O pessoal da organização vai instalar uma placa na entrada destacando que o motel está fechado para receber a equipe da SBPC. Na verdade eu só aceitei porque eles insistiram muito e o movimento está baixo demais por causa da Copa. Em cada apartamento ficarão dois hóspedes. Embora as camas sejam grandes, só existe uma em cada apartamento – disse o dono do motel.

O dono do motel vai ganhar R$ 45 mil em uma semana, sendo que um aluguel predial em Rio Branco custa, em média, por mês, cerca de 20 mil reais.

Ciência e Copa A falta de estrutura do Acre para sediar grandes eventos tem ocupado a imprensa e as redes sociais nos últimos dois dias. Além disso, políticos acreanos tentam tirar proveito do evento. Recentemente, o deputado Sibá Machado (PT-AC) explicou em entrevista a uma emissora de TV o que é a Reunião Anual da SBPC.

– É como uma Expoacre na universidade – disse, se referindo à feira agropecuária anual promovida pelo governo do Acre.

Nesta quarta-feira, o senador Aníbal Diniz (PT-AC) ocupou a tribuna do Senado para saudar a 66ª Reunião da SBPC.

– Tenho certeza de que a população de Rio Branco, que não foi uma das sedes da Copa do Mundo, deve estar muito orgulhosa por ser a sede, digamos assim, da Copa do Mundo da Ciência e Tecnologia, realizada pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

Fonte: Blog da Amazônia/ Terra Magazine

Deixe um comentário