Extração de madeira no Mato Grosso será acompanhada via satélite

O Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) assinaram Termo de Cooperação Técnica, na última semana, na sede da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt). O Termo prevê a criação da Sala de Situação do Monitoramento da Exploração Florestal, possibilitando que os analistas da Sema possam executar o monitoramento da colheita da madeira em áreas de Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS), por meio de sensoriamento remoto. O acordo tem vigência por quatro anos e poderá ser prorrogado.

Ao Cipem caberá a responsabilidade de prestar apoio técnico, logístico e tecnológico à Sema, além de fornecer todas as informações solicitadas na forma e prazos acordados. A secretaria, por sua vez, além de disponibilizar analistas para executar o monitoramento, também irá fornecer informações sobre as áreas monitoradas, elaborar e publicar relatórios periódicos sobre as áreas monitoradas da exploração florestal em áreas com PMFSs, assim como as informações sobre as áreas monitoradas.

“O convênio firmado com a Sema nos proporciona a transparência da atividade de base florestal. É uma oportunidade para demostrar que nos organizamos e conseguimos separar os bons empresários daqueles com algum desvio de conduta”, destacou o presidente do Cipem, Geraldo Bento, durante a assinatura do convênio.

O secretário estadual de Meio Ambiente, José Lacerda, destacou a importância econômica da atividade madeireira e disse que a parceria beneficia as duas entidades. “O segmento florestal é muito importante para Mato Grosso, tanto como atividade econômica, gerando emprego, renda e tributos para o Estado, quanto para o meio ambiente, realizando um programa integrado com sustentabilidade buscando a transparência da sua atividade. Provando seu amadurecimento e comprometimento com a conservação ambiental quando firma um convênio com a Secretaria de Meio Ambiente para fazer monitoramento e fiscalização da sua atividade – Manejo Florestal Sustentável”.

“Na prática a Sema terá uma sala de situação equipada com tecnologia via satélite para monitorar toda a colheita da madeira em tempo real, a exemplo de um Projeto de Manejo aprovado, poderemos monitorar se estão praticando de forma correta, caso haja algum indicativo de ilegalidade faremos a fiscalização in loco para certificar se houve o ocorrido”, explicou Lacerda.

Já o presidente da Fiemt, Jandir Milan, avaliou que a atuação do setor florestal melhorou nos últimos anos e que a transparência na atividade é fundamental. Milan aproveitou para defender a criação de uma secretaria específica do setor no governo. “Mato Grosso tem um potencial florestal enorme que não é aproveitado adequadamente. Para isso, é necessário a criação de uma secretária que cuide do negócio florestal, com objetivo de promover estudos para o desenvolvimento da cadeia produtiva estadual de florestas e incentivar o uso da madeira. A exemplo da Finlândia, o maior PIB (Produto Interno Bruto) é oriundo da produção madeireira e no Brasil essa matéria-prima continua sendo pouco utilizada” defendeu Milan.

Fonte: Painel Florestal

Deixe um comentário

Um comentário em “Extração de madeira no Mato Grosso será acompanhada via satélite

  • 23 de agosto de 2015 em 5:39
    Permalink

    Niko se eyxaristw gia tin aesoimdainysi! Gia na deis posi parembatikotita exun oi anartiseis mas, sou anaferw oti amesws me pire sunergatis tou Proedrou tilefono (ta stoixeia tou sti diathesi sou). Arnithika bebaiws na apantisw…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*