AC: marido de Marina Silva pede exoneração do governo do PT

Fábio Vaz de Lima, marido da ex-senadora Marina Silva, pediu exoneração do cargo de Secretário Adjunto da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens) do governo do Acre, comandado pelo PT há quase 16 anos.

O decreto de exoneração, assinado pelo governador Tião Viana (PT), foi publicado na edição desta terça-feira (19) do Diário Oficial. Ele se desfiliou do PT junto com Marina Silva, mas desde então não se filiou ao PV nem ao PSB.

Fábio Vaz de Lima nasceu em Santos (SP), mas vive no Acre desde o começo dos 1980, quando se formou como técnico agrícola no interior de São Paulo e mudou para Rio Branco a convite de amigos acreanos com quem estudava.

O ex-secetário da Sedens sempre contou com a confiança do senador Jorge Viana (PT-AC) e do governador Tião Viana, que o defenderam publicamente em vários momentos em que foi criticado por petistas e durante os embates de Marina Silva com Aldo Rebelo por conta do Código Florestal.

Fábio Vaz de Lima assessora os irmãos Viana desde que Jorge foi eleito prefeito de Rio Branco, em 1992. Ele e Marina participaram do grupo que atraiu a família Viana para o PT.

Os Viana eram militantes da Arena e do PDS. O ex-deputado Wildy Viana, pai de Jorge e Tião, chegou a ser filiado ao PMDB e ao PSDB, após anos como parlamentar da Arena e do PDS.

Na prefeitura de Rio Branco, administrada pelo petista Marcus Alexandre, a secretária adjunta de Juventude, Temyllis Lima da Silva, é sobrinha de Marina Silva, que não teve participação na indicação e nomeação.

Santos no destino de Marina

No começo de 1992, a então deputada estadual Marina Silva? Desembarcava no aeroporto de Rio Branco ao lado do marido Fábio Vaz de Lima? (E), do amigo e assessor Erlando Alves Melo? (D), e dos filhos, Shalon, Danilo, Moara e Maiara. O grupo regressava de Santos, após Marina ter passado um período em tratamento de saúde na cidade.

A imprensa queria saber se seria Marina ou Jorge Viana o candidato a prefeito de Rio Branco. Antes, ainda em Santos, em 22 de dezembro de 1988, Marina recebeu a notícia do assassinato de Chico Mendes.

Por: Altino Machado
Fonte: Terra Magazine/ Blog da Amazônia 

Deixe um comentário