Em carta aberta, indígenas do Rio Negro denunciam a precária situação da saúde na região

Nesta quarta-feira, 6/8, lideranças indígenas do Rio Negro, noroeste amazônico, aprovaram documento denunciando o descaso com a saúde indígena e propondo a adoção urgente de um conjunto de medidas para destravar um problema que se perpetua há décadas.

As lideranças indígenas se reuniram na Câmara Municipal de São Gabriel da Cachoeira para ler a carta na qual denunciam a precariedade da infraestrutura, de equipamentos e de fornecimento de insumos para atendimento com qualidade nas comunidades indígenas e nos postos de atendimento de referência (Polo Base)(veja no final do texto a foto de um polo base com o telhado destruído). O documento menciona ainda as condições inadequadas para transporte das equipes de saúde e dos pacientes – faltam motores e botes de alumínio -, a continuidade da terceirização na contratação dos profissionais e a falta de uma política de profissionalização dos Agentes Indígenas de Saúde e de Saneamento.

A carta aponta ainda que tais problemas vêm desde a implantação do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena então sob a responsabilidade da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e que persistem na gestão da Secretaria Especial da Saúde Indígena, vinculada ao Ministério da Saúde e que substituiu a Funasa.

Leia a carta na íntegra.

Fonte: ISA – Instituto Socioambiental

Deixe um comentário