Presidente de associação rural e esposa são mortos após denuncia contra PMs e políticos do MT

O Presidente da Associação ASPRONU (Associação de Produtores Rurais Nova União), Josias Paulino de Castro, 54 anos, e sua esposa, Ireni da Silva Castro, 35 anos, foram assassinados neste sábado (16), no Distrito de Guariba, no Município de Colniza. Os corpos foram encontrados crivados de tiros de arma de fogo calibre 9mm, que é de uso restrito. “Será que eu vou ter que ser assassinado para que vocês acreditem e tomem providências”, havia dito a vítima na semana passada.

A execução revoltou moradores da região, já que todos sabiam que o casal, ainda neste mês de agosto, havia ido até Cuiabá realizar várias denúncias ao ouvidor Agrário Nacional, desembargador Gercino José da Silva. Segundo informações do site O Pantanal Online, ele teria denunciado alguns políticos da região, por extração ilegal de madeira. Também denunciou a Polícia Militar por irregularidades e órgãos do governo por emissão irregular de títulos definitivos das terras na região.

Por várias vezes, na reunião, Josias afirmou a existência de ‘pistoleiros’ na região e que nunca foram tomadas providências. “Estamos morrendo, somos ameaçados, o Governo de Mato Grosso é conivente, a PM de Guariba protege eles, o Governo Federal é omisso, será que eu vou ter que ser assassinado para que vocês acreditem e tomem providências”, disse Josias no dia 5 de Agosto.

Segundo informações da Polícia Civil de Colniza, os corpos foram encontrados crivados de tiros de arma de fogo 9mm, que é de uso restrito. “Os dois foram baleados na cabeça e Ireni ainda levou um tiro na mão”, disse um policial.

O delegado de Polícia Judiciária Civil, Marco Bortolotto Remuzzi, abriu inquérito e investiga o duplo homicídio. A polícia ainda não tem informações a respeito de quem tenha assassinado o casal.

Veja vídeo feito pelo site O Pantanal Online onde registra a reunião com autoridades em Cuiabá e toda a denúncia feita pelo presidente da associação.

Fonte: CPT

Deixe um comentário

Um comentário em “Presidente de associação rural e esposa são mortos após denuncia contra PMs e políticos do MT

  • 19 de agosto de 2014 em 23:33
    Permalink

    Só o nome FILINTO MULLER já desperta dúvida e ódio, não tenho certeza se é o mesmo (que entregou Olga Benário ao Nazismo ou o carrasco da ditadura militar).Portanto um nome a ser renegado, na audiência o representante (afonso) do estado MT, lava as mãos(pilatos), ataca o JOSIAS e pede respeito, se retira da audiência, porém fica na sala, mostrando prepotência e aí sim, desrespeitando o representante do GF, ficando em pé e passeando pelo ambiente e interrompendo o diálogo, exige respeito, porém não corresponde. Um lacaio a serviço da corte, e o resultado se repete na foto acima, PADRE JOSIMO,… CHICO,… DOROTY,…. E JOSIAS ATÉ QUANDO O PODER DA BALA FALARÁ MAIS ALTO??????

Fechado para comentários.