Amazônia em debate

Vídeos debatem como a maior floresta tropical do mundo está sendo ameaçada pelo agronegócio, extração ilegal de madeira, violência no campo e falta de gestão

Nas terças-feiras do último mês de setembro, o Greenpeace e o Estúdio Fluxo realizaram uma série de debates sobre o tema meio ambiente e como ele é abordado nos debates eleitorais.  Sujeito Oculto: política e meio ambiente trouxe especialistas de ponta para falar dos principais desafios socioambientais que o próximo governo enfrentará.

Em seu episódio mais polêmico, a série aborda a Amazônia, centro de eterna disputa entre poder, direitos e desenvolvimento.

Com a mediação realizada pelo jornalista do Greenpeace Bruno Weis, os convidados André Villas-Bôas (Instituto Socioambiental – ISA), Marcio Astrini (Greenpeace) e cineasta Daniel Augusto, diretor do documentário Amazônia Desconhecida, debateram sobre as ameaças que cercam a Amazônia.

Via mensagens gravadas especialmente para o programa, participaram também Claudelice Santos e Cosme Capistrano, lideranças rurais ameaçadas de morte, o procurador Luis Boaventura, um dos responsáveis por garantir a consulta dos povos da floresta em relação à construção da hidrelétrica de Tapajós, e Paulo Barreto (ISA).

Um dos assuntos mais em voga no debate foi o ciclo da madeira ilegal na Amazônia, uma vez que 80% da exploração é feita de maneira ilegal no Brasil. Em paralelo, o Greenpeace acaba de lançar uma denúncia que confirma essa atividade ilegal. Confira no site da campanha Chega de Madeira Ilegal!

Confira abaixo os melhores momentos do debate:

Amazônia desgovernada

Análise da gestão do governo em relação à preservação da floresta e seus povos tradicionais.  Marcio Astrini lembra da PEC 215 e André Villas-Bôas ressalta a inoperância do estado e a falta de mecanismos para diminuir impactos das obras, conflitos no campo ou desmatamento.

Amazônia, terra da grilagem

Um dos principais problemas na Amazônia é a grilagem de terra, maneira encontrada para requisitar posse de terras da União.  “A grilagem no Brasil vem desde 1500”, defende André Villas-Boas.  Marcio Astrini explica como o grileiro atua e as consequências de suas ações para a floresta e o país.

Conflitos no Campo

Vídeo que conta com o depoimento de Claudelice Santos e Cosme Capistrano, lideranças rurais ameaçadas de morte.  A maioria dos conflitos são consequências da grilagem de terra, do avanço do agronegócio e do desmatamento.  “São quase 450 pessoas assassinadas – ou melhor, abatidas – na Amazônia”, conta Marcio Astrini.

Madeira Ilegal

“Não existe um esquema de crime e fraude no país como acontece na Amazônia”, explica Marcio Astrini.  80% da exploração de madeira no país é feita de maneira ilegal, e essa questão merece maior atenção do governo brasileiro.  André Villas- Bôas questiona: “É uma exploração consentida.  É uma quantidade gigante de toras de madeira e ninguém vê?”

Sem floresta, sem água

A relação da Floresta Amazônica com a chuva no resto do Brasil.  A Amazônia é responsável por grande parte das precipitações na região sudeste do Brasil, que hoje sofre com histórica crise hídrica.  Se desmatar a floresta, a água acaba junto.

Fonte: Greenpeace Brasil

Deixe um comentário