Ribeirinhos viajam 12 horas de barco para votar em Maraã, no Amazonas

Embarcação alugada levou 54 eleitores até a cidade, que fica a 600km de Manaus

A família de Adinilton Bras desembarca em Maraaã para votar. O barco foi alugado pela Justiça Eleitoral do Amazonas - ANTONIO SCORZA / Agência O Globo

Depois de doze horas navegando em um barco recreio, embarcação típica da bacia Amazônica, o pescador Adenilton Brás, 49 anos, chegou a cidade de Maraã, no Amazonas, a cerca de 600 quilômetros de Manaus, próxima a fronteira da Colômbia. Morador da comunidade São José do Cuiú-Cuiú, ele saiu de casa às 22h, no sábado, ao lado da mulher e duas filhas, para votar depois de três eleições sem comparecer às urnas. Além da família Brás, a embarcação trouxe 54 eleitores para o pleito. A viagem foi paga pela Justiça Eleitoral do Amazonas.

– Ia passar o domingo pescando, mas resolvi trazer minha família para votar. Sem o barco seria impossível vir até Maraã. Espero que meu voto seja útil para que o país melhore – disse Adenilton.

O porto de Maraã registrou a parada de 32 barcos, o dobro de um final de semana normal. Alguns ribeirinhos preferiram chegar no sábado à noite para evitar imprevistos e perderem a chance de votar. Morador da comunidade Porto Alegre, a 22 quilômetros de Maraã, o pescador Nilton Morais alugou um quarto em um hotel para não perder a eleição.

– Na última votação meu barco deu defeito e não consegui chegar na cidade. Nesta eleição preferi gastar um dinheirinho a mais para ter a certeza que conseguirei votar – afirmou Nilton.

SEIS PESSOAS SÃO PRESAS

Em quatro horas de votação, seis pessoas foram presas fazendo boca de urna em Maraã. Segundo a Polícia Militar, eleitores estavam distribuindo camisas e santinhos do candidato a governador do estado, José Melo, do PROS, quando foram abordados pelos policias e encaminhados para a delegacia da cidade.

Fonte: O Globo

Deixe um comentário