Pescador morre após ser atingido por calda de pirarucu no AM

Dentro de reserva sustentável, pescador tentava capturar o maior peixe de água doce do mundo, o pirarucu, para colocá-lo no barco.  Entretanto, ele foi surpreendido pela força do animal, que o golpeou nas costelas

Durante uma pescaria na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) de Mamirauá, na região do rio Rio Paraná Pinapuã, no município de Maraã, a 634 quilômetros de Manaus, o pescador Edmilson Roberto, de 65 anos, morreu após ser atingido por um pirarucu, o maior peixe de água doce do mundo, na última sexta-feira (28).

Edmilson estava acompanhado de outros pescadores e era um dos mais antigos da colônia Z-32, dentro da reserva. Ele tentava matar e capturar o peixe para colocá-lo no barco, mas foi surpreendido pela força do animal, que o golpeou nas costelas pela calda. Após ser atingido, os outros pescadores tentaram socorrê-lo, mas ele não resistiu.

As informações foram confirmadas pelo secretário de Pesca e Aquicultura, Geraldo Bernardino. “Essa captura (do peixe) foi complicada porque o rio não secou totalmente (durante a vazante), e fica cheio difícil capturar o pescado assim. Quando o rio está mais baixo, o pescador fica com o corpo mais para fora d’água e facilita a pesca desses peixes pesados”, disse.

Conforme o secretário, geralmente os pescadores usam uma rede de pesca e a própria força do corpo para puxar o pirarucu da água e colocá-lo no barco. Entretanto, o maior peixe da Amazônia, que chega, em média, a pesar 55 quilos e medir 1,6 metros de comprimento, se debate durante essa captura e pode dar pancadas impressionantes.

Após o golpe, os pescadores amigos de Edmilson o colocaram no barco para levá-lo de volta a um flutuante próximo, mas devido a distância de onde estavam, uma hora de viagem, o pescador já chegou morto. “Uma fatalidade que nunca aconteceu antes. Isso agora serve pra gente fazer rediscussão sobre o manejo do peixe”, finalizou Bernardino.

Por: Vinicius Leal
Fonte: A Crítica

Deixe um comentário