MPF participa de abertura do Projeto Açaí de Educação Indígena

Professores indígenas são qualificados para atuar na educação nas aldeias

O Ministério Público Federal (MPF) participou da abertura da terceira edição do Projeto Açaí, realizada ontem, 12 de janeiro, em Presidente Médici. Na abertura estavam presentes o procurador da República Daniel Dalberto, a Secretária Estadual de Educação Fátima Gavioli, representantes da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e 120 alunos indígenas de mais de 30 etnias.

O Projeto Açaí possui recursos federais, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e é executado em Rondônia pelo governo estadual, através da Seduc. O projeto é voltado para a formação de professores de educação infantil e das séries iniciais (1º ao 5 º ano) do ensino fundamental, preservando a diversidade linguística, intercultural e histórica das etnias atendidas.

“O desenvolvimento do país depende de mudança positiva da atual realidade da educação. É nesse sentido que o Projeto Açaí é essencial para a população indígena de Rondônia. O MPF tem feito seu papel de zelar pela correta aplicação do dinheiro público e pelo respeito aos direitos dos povos indígenas”, disse o procurador.

O curso é dividido em oito fases e tem duração de três anos. Segundo a Seduc, em 2014 o Projeto Açaí formou 136 alunos indígenas no ensino médio, que podem atuar como professores de ensino fundamental. Uma das modalidades mais importantes – e obrigatória – do projeto é o aprendizado da língua materna. A importância da disciplina se baseia na preservação do universo sociocultural específico de cada etnia. As aulas são bilíngues e, preferencialmente, ministradas por professores indígenas.

Fonte: MPF – Ministério Público Federal

Deixe um comentário