Com estação inundada, Xapuri enfrenta problema de abastecimento

Cidade acreana sofre com enchente histórica; Rio chegou a 18,29 metros. Caminhões-pipa fazem abastecimento em parte da cidade. 

Caminhões-pipa levam água potável aos abrigos e centros comunitários (Foto: Clenio Monteiro/Arquivo Pessoal)

Vítima de uma enchente histórica do Rio Acre, que nesta sexta-feira (25) chegou a 18,29 metros, a população do município acreano de Xapuri, a 188 km da capital Rio Branco, tem enfrentado também, desde a última terça-feira (24), problemas de abastecimento de água. Isso porque uma das estações de tratamento de água da cidade foi inundada pelas águas do manancial e não está podendo operar.

“Estamos com 100% da cidade com problemas de fornecimento de água potável”, afirmou o coordenador da Defesa Civil de Xapuri, Jocires Ângelo.

De acordo com o Departamento de Pavimentação e Saneamento do Acre (Depasa), Xapuri possui duas estações de tratamento, uma com capacidade menor que atendia cerca de 40% da cidade e outra maior que foi invadida pelas águas do Rio Acre. Ainda segundo o órgão, antes mesmo das águas chegarem até a estação, o sistema já estava sendo desligado nas áreas alagadas, para evitar que houvesse contaminação.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, para que o problema não se agrave, o Depasa disponibilizou quatro caminhões-pipa para buscar água na estação de tratamento e distribuí-la.

“Estamos abastecendo os abrigos, centros comunitários e locais com maior aglomeração de pessoas para diminuir o impacto da situação”, explica Ângelo.

Segundo ele, 40% da área urbana de Xapuri já foi atingida pela enchente, mas o impacto é maior e pode estar sendo sentido pelos nove mil habitantes da cidade. “Se analisarmos o reflexo da enchente com todos os transtornos a enchente atingiu 100% das famílias do município, estamos sem Correios, serviços hospitalares, agências bancárias”, enfatiza.

Emergência

A terra natal do líder seringueiro, Chico Mendes, Xapuri vive uma enchente histórica. Pela primeira vez na história do município, as águas invadiram a paróquia de São Sebastião tida como referência, localizada na Rua Benjamin Constant, no Centro de Xapuri. Segundo a Defesa Civil, em 1978, ano em que ainda não havia medição do nível do rio, a água chegou na escadaria da igreja.

Até esta quinta, Xapuri contava com 17 abrigos para receber as 611 famílias atingidas, um total de 1.655 pessoas. Cinco bairros foram atingidos, além da zona rural. Parte da telefonia da cidade está comprometida e a maioria dos órgãos públicos tiveram o atendimento interrompido.

Por: Yuri Marcel
Fonte: G1 

Deixe um comentário