Incra reassenta em Santarém famílias atingidas pelo fenômeno terras caídas

Em atendimento à demanda de moradores de Fátima de Urucurituba localizada na comunidade Santa Maria, a cerca de 11 km de Santarém (PA), a Superintendência Regional do Incra Oeste do Pará deu início na última quinta-feira (14) ao reassentamento das famílias que vivem nas chamadas “terras caídas”, fenômeno que provoca o desmoronamento de porções de terras nas áreas várzeas que sofrem o impacto de maresia do rio Amazonas.

Cerca de 40 famílias foram transferidas do Urucurituba para o assentamento Eixo Forte, ambos projetos de assentamentos agroextrativistas situados no município de Santarém. A operação foi acompanhado por agentes da Polícia Federal (PF), em atendimento a pedido do Incra.

Apoio policial

Em reunião realizada no último dia 23 de abril, em Santarém, a Superintendência do Incra em Santarém relatou à PF ameaças que comunitários de Fátima de Urucurituba e do Eixo Forte sofriam. Elas são atribuídas ao proprietário de uma imobiliária em Santarém, contra o qual pesa a suspeita de venda de terras públicas no Eixo Forte.

Assim, a presença da PF garantiu tranquilidade ao procedimento de entrega dos lotes aos comunitários.

Reconstrução da comunidade

Com tamanho aproximado de 15 hectares, a área destinada às famílias de Fátima de Urucurituba está localizada na comunidade Santa Maria, dentro do PAE Eixo Forte.

Santa Maria fica a aproximadamente 11 quilômetros da área urbana de Santarém, nas proximidades do aeroporto Maestro Wilson Fonseca.

Com a entrega dos lotes, as famílias de Fátima de Urucurituba ficam aptas a ocupar, em definitivo, a área destinada pelo Incra. É o início da reconstrução da comunidade.

A divisão da área respeitou a tradição de vizinhança da comunidade original, definida pelo Incra com o acompanhamento das famílias e entidades que as representam.

O ato de entrega sucede avaliação do Incra quanto a pretensões de posse e propriedade, as quais foram consideradas ilegítimas, possibilitando a definição da área, na comunidade Santa Maria, para as famílias de Fátima de Urucurituba.

Todo o processo de remanejamento das famílias conta com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais (STTR) de Santarém e da Federação do PAE Eixo Forte.

Assistência

Cestas de alimentos foram entregues às famílias pela Ouvidoria Agrária Regional e pelo Incra. O intuito é oferecer uma assistência básica neste período de transição.

Assentadas da reforma agrária, agora no PAE Eixo Forte, as famílias de Fátima continuam como beneficiárias de políticas públicas sob a competência do Incra.

Fonte: Incra

Deixe um comentário