Índios de Rondônia querem a criação de um ministério indígena federal

Conferência Nacional de Políticas Indigenistas aconteceu em Cacoal (RO).  Participaram do encontro índios Paeter Suruí e de mais seis etnias.

As propostas debatidas nesses encontros vão ser levadas para etapa regional em Porto Velho, e posteriormente na etapa nacional, prevista para novembro, em Brasília (Foto: Rede Amazônica/Reprodução)

Foi encerrada na última sexta-feira (13), em Cacoal(RO), município distante cerca de 480 quilômetros de Porto Velho, a 3ª etapa local da Conferência Nacional de Políticas Indigenistas. Entre as propostas apresentadas no encontro, que teve a participação dos índios Paeter Suruí e de mais seis etnias, está a criação de um ministério indígena federal.

Saúde pública de qualidade, educação e desenvolvimento sustentável foram alguns dos assuntos discutidos. Para Marcos Apurinã, um dos organizadores da conferência, falta apoio aos índios e a criação de um ministério indígena federal como alternativa para dar suporte às comunidades.

“Estamos discutindo e vamos levar para a conferência nacional essa proposta, que deve ser apresentada para a presidente do Brasil. Acreditamos que um ministério indígena, comandado por um índio, seria o caminho mais fácil para a efetivação de políticas voltadas para os povos indígenas”, explica.

Para o representante da Juventude Suruí Anderson Suruí, a Proposta de Emenda a Constituição (PEC 215), que tramita no congresso nacional e que, se aprovada, transferirá o poder de demarcação de terras indígenas que hoje compete a união e a Fundação Nacional do Índio (Funai) para o legislativo (Senado e Câmara dos Deputados), é outra questão que causa grande preocupação aos indígenas.

“Historicamente a gente vem sofrendo extermínio. No passado foi com armas, agora usam dispositivos legais para isso. Nossa preocupação é que essa mudança irá retirar direitos já assegurados”, diz Apurinã.

Conforme o coordenador substituto da Funai, em Cacoal, mais duas etapas locais da conferência ainda devem ser realizadas nos municípios Guajará-Mirim e Ji-Paraná. As propostas debatidas nesses encontros vão ser levadas para etapa regional em Porto Velho, e posteriormente na etapa nacional, prevista para novembro, em Brasília.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*