Greve na Zona Franca de Manaus impede carretas de descarregar mercadorias

Pelo menos 900 carretas com 18 mil toneladas de mercadorias, calculadas em R$ 320 milhões, estão paradas nos pátios das transportadoras em Manaus à espera de vistoria para descarregar na Zona Franca, a informação é do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas do Amazonas. De acordo com a entidade, o problema é causado pela greve dos técnicos da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

O órgão cuida da fiscalização de produtos que chegam à Zona Franca, além da aplicação de incentivos fiscais e avaliação de indústrias que desejam se instalar no local. A paralisação, que dura mais de 20 dias, afeta principalmente o transporte de cargas, que enfrenta dificuldades para liberação das mercadorias.

De acordo com o sindicato das transportadoras, somente alimentos perecíveis e materiais médicos têm liberação imediata.

Segundo o Sindicato dos Servidores da Suframa (Sindframa), a greve foi deflagrada como protesto ao veto parcial da presidenta Dilma Rousseff à Medida Provisória 660, que trata da reestruturação do plano de cargos e carreiras dos funcionários da Suframa.

A entidade informou ainda que os trabalhadores tentam convencer os parlamentares no Congresso Nacional a derrubar o veto, decisão essencial para o fim da greve.

A Agência Brasil não conseguiu contato com representantes da Suframa.

Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Aécio Amado

Deixe um comentário