Sistema oferece monitoramento do Plano ABC para estados da Amazônia

Ferramenta foi apresentada em oficina para representantes dos Grupos Gestores de nove estados

Os Grupos Gestores do Plano Agricultura de Baixo Carbono (ABC) nos estados da Amazônia Legal podem realizar o monitoramento de seus planos a partir de um sistema de mapeamento, desenvolvido pelo Observatório ABC. “A expectativa é que essa ferramenta ofereça meios para o autoconhecimento dos estados da Amazônia quanto a seus planos estaduais, para que eles avaliem quão próximos ou quão longe estão de suas metas”, declarou Juliana Speranza, da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O sistema foi apresentado na oficina “Monitoramento e Avaliação dos Planos ABC nos Estados da Amazônia Legal”, promovida no dia 11 de junho, em Brasília (DF). Participaram das atividades representantes dos Grupos Gestores do Plano ABC do Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso, Maranhão e Acre. O evento contou ainda com a participação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A oficina foi elaborada para a troca de experiências e informações entre os participantes, os convidando a testar o sistema. De acordo com Speranza, a participação do Mapa no evento e o bom diálogo com o governo é um indicador de como a ferramenta pode servir para a governança do ABC.

Para Sérvio Túlio, professor da FGV, o evento foi bem sucedido ao apresentar o modelo de acompanhamento do Plano ABC e no debate sobre as etapas de elaboração e implementação dos planos, dando a oportunidade para avaliação do atual estágio de cada estado.

“Houve uma boa recepção quanto ao modelo de monitoramento e eles se mostraram dispostos a utilizar”, informou Túlio. Também foi divulgada uma cartilha com sugestões para os estados que ainda não formularam seus planos.

Mapeamento inteligente

O sistema ABC foi estruturado com base nos requisitos previstos no Plano ABC Nacional, o qual estabelece critérios para as ações de cada estado. “O que fizemos foi pegar esses requisitos e organizá-los em planilhas”, explicou Túlio, responsável pela equipe que construiu o sistema. Dessa forma, o mecanismo poderá ajudar os estados a avaliarem se estão de acordo com as metas estipuladas para até 2020. “Eles podem ter o controle do que estão empreendendo, conforme o previsto pelo Plano Nacional”, disse.

Ainda segundo Speranza, os estados da região amazônica estão em níveis diferentes de avanço do Plano ABC. “Enquanto estados como Tocantins, Mato Grosso e Pará estão bem avançados, outros estados como Acre ainda não têm um plano estadual desenvolvido”.

Conforme os dados do sistema, além de Pará, Tocantins e Mato Grosso, o Maranhão também tem seu plano implementado, enquanto Roraima e Amapá não iniciaram o planejamento. Para estados sem plano instituído, Speranza afirma que a ferramenta irá oferecer auxílio desde a etapa de elaboração. Para aqueles que já fizeram o plano, o sistema pode servir como apoio e acompanhamento.

Além do sistema de planilhas, um mapa interativo para visualizar a alocação de recursos e outras informações por estado está disponível e pode ser acessado no site do Observatório ABC.

Por: Talise Rocha
Fonte: Observatório ABC 

Deixe um comentário