Balsa que naufragou no rio Jari é localizada pelo Corpo de Bombeiros

Balsa estaria a 34 metros de profundidade; nenhum desaparecido foi achado. Embarcação afundou no sábado (12) na divisa entre o Amapá e o Pará.

Mapa da região onde ocorreu o naufrágio da balsa em Laranjal do Jari (Foto: Alessandra Azevedo/G1)
Mapa da região onde ocorreu o naufrágio da balsa em Laranjal do Jari (Foto: Alessandra Azevedo/G1)

O Corpo de Bombeiros do Amapá (CBM/AP) confirmou que a balsa “Rosa de Maio”, que naufragou há três dias na foz do rio Jari, na divisa entre o Amapá e o estado do Pará, foi localizada a 34 metros de profunidade no fim da tarde de segunda-feira (14). Nenhum dos cinco desaparecidos foi localizado até o momento.

O tenente-coronel dos bombeiros Roberto Néri informou que devido a profundidade, a equipe de mergulhadores é impossibilitada de chegar até a balsa, localizada através do sonar do barco da Marinha do Brasil que monitora a área. Para o resgate será necessário remover a embarcação do fundo do rio.

“Eles estão buscando acesso à embarcação, o que é complicado. Estamos tentando tirar dessa profundidade e os nossos mergulhadores não conseguem chegar até lá, pois só suportam ficar embaixo d’água por 12 minutos. Vamos tentar ancorar utilizando uma outra embarcação de maior parte para rebocar até uma área mais rasa”, detalhou o bombeiro.

Com a retirada do fundo, as equipes pretendem localizar os corpos das vítimas, que segundo um dos sobreviventes, José Lauro Braga Neto, de 19 anos, estavam dentro de camarotes na hora do naufrágio. “Quando a balsa estava afundando, o comandante tentou salvar a esposa dele que estava num camarote. Só um milagre de Deus para salvar eles”, relatou o tripulante ao G1 Santarém na manhã de segunda-feira.

Rio Jari é na divisa entre os estados do Amapá e do Pará (Foto: John Pacheco/G1)
Rio Jari é na divisa entre os estados do Amapá e do Pará (Foto: John Pacheco/G1)

Os órgãos ainda não divulgaram os nomes dos desaparecidos, mas Lauro Neto informou os primeiros nomes das pessoas que não conseguiram sair da balsa a tempo: a cozinheira Daniele, natural de Monte Alegre; Cleomar, comandante da balsa; Andréia, companheira de Cleomar; Lucas, um adolescente de 13 anos (filho de um dos sobreviventes) e uma jovem conhecida como Rosa.

Naufrágio

A balsa tipo boiadeiro, naufragou por volta de 23h de sábado (12), na foz do rio Jari. De acordo com a Capitania dos Portos no Amapá, pequenas embarcações de moradores de comunidades ribeirinhas, que estavam próximas ao local do acidente, teriam resgatado três passageiros da balsa e cinco pessoas ainda estariam desaparecidas.

A embarcação teria saído de Santana, a 17 quilômetros de Macapá, em direção ao município de Monte Alegre, no Pará, segundo o comandante da Capitania dos Portos, Lúcio Marques Ribeiro. A embarcação transportava comidas e bebidas, além de oito pessoas.

Hipótese de sobrecarga

A capitania informou que está trabalhando com a hipótese, ainda não confirmada, que uma sobrecarga de mercadorias tenha causado o naufrágio. Na região, o rio não seria afetado por fortes correntezas.

Por: John Pacheco
Fonte: G1

Deixe um comentário