Parceria garante sucesso dos Jogos Mundiais Indígenas, diz prefeito de Palmas

Esbanjando bom humor, o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, agradeceu ontem (21), em entrevista, o apoio do governo federal e de empresas privadas para a realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI) na capital de Tocantins. Segundo ele, essa parceria garantirá o sucesso do evento, que começa sexta-feira (23) e termina em 1º de novembro, reunindo 23 povos nacionais e grupos indígenas de 22 países.

Carlos Amastha enfatizou que a prefeitura teve um gasto de R$ 4 milhões na organização dos jogos. O dinheiro foi usado para custeio de alimentação dos indígenas e reforma das escolas que recebem os atletas estrangeiros. No entanto, conforme acrescentou Amastha, o apoio maior veio de empresas privadas e do governo federal.

De acordo com o chefe da Secretaria Municipal Extraordinária dos Jogos Indígenas, Hector Franco, a Odebrecht fez instalação da rede de água e esgoto; a OI forneceu sinal telefônico e de internet; a Energisa colaborou com a instalação e fornecimento de energia e de ar condicionado; e a EHL participou com as obras de urbanização, pavimentação e paisagismo da vila dos jogos.

A estimativa da secretaria é que o investimento das empresas totaliza R$ 35 milhões. Além desse investimento, cerca de R$ 56 milhões representam repasses feitos pelo Ministério do Esporte ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud): os recursos foram usados pelo Pnud para dar andamento às licitações visando dar agilidade às obras.

O prefeito comentou a possibilidade de contar com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, na abertura do evento, sexta-feira (23). A presença de Dilma tem sido especulada há dias, mas ainda não foi confirmada.

A cerimônia de abertura está marcada para as 17h30 de sexta-feira e será fechada ao público. Apenas convidados, num total de 5 mil, terão acesso à Arena Verde, local da festa. Um telão será instalado em uma praça da cidade, a fim de que a população possa acompanhar a abertura do evento. O mesmo local receberá shows de artistas locais e outros nacionais.

A partir de sexta-feira, a vila dos jogos será aberta às disputas em dezenas de modalidades. Haverá também atividades culturais, com acesso restrito aos indígenas, na Oca da Sabedoria. “Existem certas regras em nossas comunidades que não podemos revelar. Nós, indígenas, praticamos um ritual muito forte. Praticamos há muito tempo e queremos ficar em privacidade”, disse o cacique Davi Kaiapó.

Por: Marcelo Brandão
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: José Romildo

Deixe um comentário