Nova ocorrência de peixes mortos é registrada no Rio Araguari, no Amapá

Peixes apareceram mortos próximo a usina, dizem pescadores. Este é o segundo caso em 2016; empresa diz que analisa a situação.

peixes encontrados mortos em Ferreira Gomes amapá

Moradores de Ferreira Gomes, a 134 quilômetros de Macapá, encontraram novamente peixes mortos no rio Araguari, na tarde de domingo (24). Esta é sexta mortandade no rio Araguari, sendo o segundo caso em 2016. As espécies foram localizadas por pescadores próximo a hidrelétrica Cachoeira Caldeirão, na região rural do município.

De acordo com o presidente da Associação de Atingidos por Barragens, Moroni Guimarães, que divulgou o caso na internet, muitos peixes encontrados mortos são pequenos, mas espécies maiores começaram a surgir, como tucunaré e mandube.

“Muitos peixes morreram no dia 19 [de janeiro] e ontem percebemos uma quantidade maior, com espécies grandes. Vemos que os peixes estão com os olhos saltados para fora, um dos sinais de morte por excesso de oxigênio no sangue. Por isso denunciamos e vamos reunir para relatar a situação à Dema [Delegacia de Meio Ambinte]”, falou Guimarães.

O fenômeno é semelhante ao ocorrido em outros três registros nos anos de 2015 e 2014, no rio Araguari, onde existem duas hidrelétricas em operação e outra em construção. Pescadores fizeram denúncia na Delegacia de Meio Ambiente, em Macapá.

Guimarães está em Macapá e nesta segunda-feira (25) vai acompanhar os depoimentos de moradores na Dema, que investiga a mortandade no rio Araguari. O pescador Maurito de Souza diz que sustenta a família há cerca de 10 anos com a atividade. Segundo ele, com o excesso de morte das espécies, está difícil conseguir dinheiro.

“Para mim, está difícil a situação e não posso pescar porque estamos em período de defeso. Dependo da pesca para sustentar meus quatro filhos. Estou fazendo bicos para poder sobreviver. Não posso pegar nem para comer”, lamentou.

A pescadora Mariodete Penha, de 52 anos, diz que saiu para pescar com os dois filhos, no domingo, e percebeu as espécies mortas.

“Nós vimos a quantidade grande de peixes quando fomos ao rio Araguari e pegamos uma quantidade para mostrar ao delegado, em Macapá. Está complicado, porque não conseguimos pescar nem para comer”, desabafou.

A empresa de Energia Cachoeira Caldeirão informou ao G1 que está analisando com “sua consultoria especializada em ictiofauna os motivos que levaram à ocorrência com peixes”. A empresa disse “que as vazões do rio Araguari foram mantidas bem acima da exigência dos órgãos competentes e que não ocorreram movimentações das comportas do vertedouro ou qualquer fato novo na obra”.

Morte de peixes

Em 2014, foram registradas três ocorrências de mortes de peixes na orla de Ferreira Gomes. O Imap emitiu um laudo, à época, descartando qualquer tipo de poluição na água por causa da característica do rio, que tem grande capacidade de diluir substâncias.

A primeira vez que os peixes apareceram mortos foi em agosto de 2014. Os outros registros ocorreram em outubro e novembro, no mesmo local. Pescadores chegaram a realizar um protesto no município por causa dos prejuízos para a atividade. Em 2015, as mortes foram em novembro. O caso mais recente ocorreu no dia 19 de janeiro.

Por: Jéssica Alves
Fonte: G1

Deixe um comentário