Público prestigia o pré-lançamento do documentário ‘Comer o Quê?’, em Belém

O Pará entrou mesmo no roteiro gastronômico do mundo. Recentes eventos ligados ao tema vêm mostrando que a culinária, aqui antes já adorada, caiu no gosto de muitas pessoas Brasil afora e no calendário de grandes instituições.

Na noite de quinta-feira (11), a capital recebeu, no Teatro Gasômetro, no Parque da Residência, o pré-lançamento do documentário “Comer o Quê?”, produzido pela Deusdará Filmes e dirigido por Leonardo Brant. O evento foi resultado da parceria entre o Instituto ATÁ, lançado pelo chef Alex Atala, o Instituto Paulo Martins e o Centro de Empreendedorismo da Amazônia, com apoio do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e Secretaria Extraordinária de Integração de Políticas Públicas (Seips).

O documentário aborda diferentes pontos de vistas sobre a alimentação e os seus inúmeros questionamentos. O filme conta com várias participações, como as de Bela Gil, Helena Rizzo, Josimar Melo, Neka Menna Barreto, Marcos Palmeira, Marcio Atala, Roberto Smeraldi, Alex Atala, Fabiolla Duarte e Claudia Visoni, que levam o espectador a passear pela gastronomia nacional e conhecer melhor os hábitos alimentares dos brasileiros. De acordo com Leonardo Brant, a ideia central do filme é tratar a comida não só pelo aspecto da saúde e do bem estar, mas também tudo o que ela engloba e as pessoas não se apercebem: renda, contexto social, políticas de cidadania e muito mais.

A programação da noite começou com a exibição do documentário, seguida por uma mesa redonda mediada pela jornalista paraense Úrsula Vidal e com a participação de Bela Gil (nutricionista, chefe de cozinha natural e apresentadora do programa Bela Cozinha, exibido no canal GNT), Leonardo Brant e Roberto Smeraldi (representante do Instituto ATÁ). Por fim, houve o lançamento do livro de Bela Gil com parada para autógrafos.

Para Izabela Jatene, titular da Seips, eventos como este ajudam a firmar novas parcerias e seguidores. “Belém é a cidade da gastronomia, o Pará é a síntese da Amazônia. Estamos vivendo um momento muito promissor, de agregar várias comunidades. O assunto não interessa mais apenas aos chefs, a sociedade como um todo se preocupa com a alimentação”, opina a secretária.

Com a implantação do Centro Global de Gastronomia, que terá sua sede na Casa das Onze Janelas, em Belém, o secretário de Cultura do Pará, Paulo Chaves, acredita que o projeto vem para dinamizar muitos setores. “Vamos energizar o que já existe. O Centro vai trazer o olhar do mundo para Belém”, explica Paulo Chaves. A proposta de criação do centro também faz parte das comemorações dos 400 anos de fundação de Belém, e foi apresentada por um conjunto de organizações da sociedade civil, lideradas pelo Instituto Paulo Martins, o instituto ATÁ e o Centro de Empreendedorismo da Amazônia (fundado com o objetivo de estimular negócios sustentáveis e inovação na região).

Como um dos envolvidos na implantação do Centro Global de Gastronomia, Roberto Smeraldi explica que a proposta principal é fazer um projeto que ofereça a padronização, que dê a real consciência da gastronomia local. “A cidade já está entrando neste circuito global, tem tudo a ver promover eventos como este aqui”, disse.

Conhecida por suas receitas vegetarianas, Bela Gil parabeniza Belém pelo recente título dado pela Unesco, de Cidade Criativa da Gastronomia, e aproveita para reforçar o merecimento: “Belém tem muitos gostos e sabores que podem ser explorados de forma criativa. Tem mesmo que valorizar o que é bom”.

Por: Bianca Teixeira
Fonte: Agência Pará

Deixe um comentário